Viajando No Mundo dos Contos de Fada

Viajando No Mundo dos Contos de Fada

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Hipóteses de Alfabetização




Por acreditarem que a criança busca a aprendizagem na medida em que constrói o raciocínio lógico e que o processo evolutivo de aprender a ler e escrever passa por níveis de conceitualização que revelam as hipóteses a que chegou a criança, Emilia Ferreiro e Ana Teberosky definiram , em seu Psicogêne da Língua Escrita, cinco níveis:
• Nível 1: Hipótese Pré-Silábica;
• Nível 2: Intermediário I;
• Nível 3: Hipótese Silábica;
• Nível 4: Hipótese Silábico-Alfabética ou Intermediário II;
• Nível 5: Hipótese Alfabética.

A caracterização de cada nível não e determinante, podendo a criança estar em um nível ainda com características do nível anterior. Essas situações são mais freqüentes nos níveis Intermediários I e II, onde freqüentemente podemos nos deparar com contradições na conduta da criança e nos quais se percebe aa perda de estabilidade do nível anterior e a não estabilidade no nível seguinte, evidenciando o conflito cognitivo.
• Nível 1: Hipótese Pré-Silábica;
A criança:
- não estabelece vinculo entre fala e escrita;
- demonstra intenção de escrever através de traçado linear com formas diferentes;
- usa letras do próprio nome ou letras e números d\na mesma palavra;
- caracteriza uma palavra como letra inicial;
- tem leitura global, individual e instável do que escreve: só ela sabe o que quis escrever;

• Nível 2: Intermediário I;
A criança:
- começa ater consciência de que existe alguma relação entre pronuncia e a escrita;
- começa a desvincular a escrita das imagens e os números das letras;
- conserva as hipóteses da quantidade mínima e da variedade de caracteres.

• Nível 3: Hipótese Silábica;
A criança:
- já supõe que a escrita representa a fala;
- tenta fonetizar a escrita e dar valor sonoro às letras;
- já supõe que a menor unidade de língua seja a sílaba;
- em frases, pode escrever uma letra para cada palavra.

• Nível 4: Hipótese Silábico-Alfabética ou Intermediário II;
A criança:
- inicia a superação da hipótese silábica;
- compreende que a escrita representa o som da fala;
- passa a fazer uma leitura termo a termo; (não global)
- consegue combinar vogais e consoantes numa mesma palavra, numa tentativa de combinar sons, sem tornar, ainda, sua escrita socializável. Por exemplo, CAL para cavalo.

• Nível 5: Hipótese alfabética.
A criança:
- compreende que a escrita tem função social;
- compreende o modo de construção do código da escrita;
- omite letras quando mistura as hipóteses alfabética e silábica;
- não tem problemas de escrita no que se refere a conceito;
- não e ortográfica e nem léxica.

A alfabetização não é mais vista como sendo o ensino de um sistema gráfico que equivale a sons. Um aspecto que tem que ser considerado nessa nova perspectiva e que a relação da escrita com a oralidade não é uma relação de dependência da primeira com a segunda, mas e antes uma relação de interdependência, isto e, ambos os sistemas de representação influenciam-se igualmente.
Temos então que a concepção que em geral se faz a respeito da aquisição da linguagem escrita, corresponde a um modelo linear e “positivo” de desenvolvimento, segundo o qual a criança aprende a usar e decodificar símbolos gráficos que representam os sons da fala, saindo de um ponto ‘x’ e chegando a um ponto ‘y’.
O dia a dia apresentado pelos alunos que ingressam nas séries iniciais, mostra-se preocupante, considerando que a cada momento, o educador encontra-se diante de alguns obstáculos, principalmente quando se refere à leitura e suas interpretações.Essa dificuldade embora comuns, se difunde em outras, como interpretação de textos, ditado, cópia e etc..., o que numa linguagem atual se reporta às técnicas de redação. Entende-se que cada aluno apresenta sua dificuldade, alguns tem bloqueios para escrever, expressar suas emoções, falar etc. Nesse contexto, o professor precisa estar atento a essas dificuldades, a fim de criar mecanismo para seu enfrentamento, reconhecendo que na fase inicial, a criança absorve o que lhe é repassado e incorpora valores que no decorrer da vida escolar, se contemporizam com outros, podendo gerar conflito ou dificuldades. 

Autora do texto: Maira Haydée Goellner
Pós Graduada em Psicopedagogia Institucional.
Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal do Amazonas. UFAM
 Professora de Educação Infantil pela rede municipal de ensino. SEMED AM
 

Trabalhando Gêneros Textuais


                                                                Trabalhando Gêneros Textuais
O trabalho com os diferentes gêneros textuais na sala de aula é um assunto recente mas fundamental para se trabalhar com a língua veiculada em diferentes esferas sociais, isto é, com a língua em uso, o que pressupõe as aulas de Língua Portuguesa como um lugar de interação e muito mais interessante aos olhos dos alunos que se sentem cada vez mais aptos a ler e a interpretar o mundo que os cerca.Em uma sociedade competitiva, marcada por progressos tecnológicos e científicos, a leitura competente de diferentes gêneros textuais torna-se essencial uma vez que insere o cidadão na vida social e cultural de um país de modo a proporcionar um posicionamento crítico diante das diversas situações, além da capacidade de mediar conflitos e combater a dominação.Nessa perspectiva, o trabalho proposto é focado nos objetivos estabelecidos segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais (BRASIL, 1998) para os professores de Língua Portuguesa, em especial os que trabalham com o terceiro e quarto ciclos do Ensino Fundamental – 6º ao 9º ano – no que diz respeito ao uso de textos diversos a fim de contribuir para a formação de um leitor competente e que saiba apropriar-se da linguagem para exercer sua cidadania. Esse trabalho pode e deve ser feito por meio de projetos pedagógicos de leitura e adaptado às diferentes realidades com as quais os professores se deparam. Cabe reforçar também que o prazer da leitura é algo a ser aprendido desde a infância a fim de se formar leitores para a vida toda.
A IMPORTÂNCIA DA LEITURA NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA
A sociedade contemporânea encontra-se repleta de oportunidades de leitura à medida que, na era da globalização e da tecnologia, novos gêneros discursivos aparecem,novas formas de se comunicar surgem e, consequentemente, novas exigências e conhecimentos são postulados.
Em vista disso, o ato de ler passa a ser uma atividade libertadora e de poder,haja vista que o indivíduo ao estar habituado à prática de leitura torna-se mais crítico da realidade e insere-se efetivamente nas diferentes práticas discursivas a que está exposto diariamente. Entretanto, para que isso ocorra efetivamente, é imprescindível o contato com o mundo da escrita desde a infância, o que pode acontecer de maneira espontânea à medida que o mediador proporciona à criança o prazer da leitura.
Cada indivíduo, inclusive a criança, apresenta uma história de leitura diferente.Alguns foram apresentados aos livros pelos pais, avós, tios, amigos, padre, pastor e outros pelos professores. A partir dessa constatação, a pesquisadora Marisa Lajolo (2005, p. 5) nos lembra em seu trabalho Meus alunos não gostam de ler...que o prazer da  leitura é um prazer aprendido. Sendo assim, cabe à escola ensinar os alunos a adquirir o hábito da leitura como forma de auxiliá-los em sua formação intelectual e também levá-los a recorrer aos livros ao longo da vida como meio de informação e entretenimento.
 Ao tratar de leitura e formação de leitor, não se pode deixar de mencionar o célebre educador Paulo Freire que muito contribuiu para esse campo de pesquisa ao longo dos anos. Uma das afirmações de Freire em uma das suas mais reconhecidas obras,A importância do ato de ler (2009), é que a leitura da palavra é precedida pela leitura do mundo e que linguagem e realidade se prendem dinamicamente de forma que não podem ser desvinculadas uma da outra (FREIRE, 2009).
 Daí a importância da leitura crítica desde o processo de alfabetização, o que envolve a percepção das relações entre o texto e o contexto para que o fazer dos docentes e discentes seja vivenciado. Apesar disso, o que se vê hoje em boa parte das escolas é uma concepção equivocada do ato de ler. Isso ocorre porque o trabalho com textos muitas vezes é orientado pela noção de que a função da leitura escolar é meramente o aumento de vocabulário (LAJOLO, 1986
                                                                             A LEITURA NA ESCOLA
A formação de leitores tem sido uma preocupação de longa data no âmbito escolar, considerando-se que alunos e professores têm mostrado um baixo nível de competência nesse sentido, conforme apontam algumas pesquisas recentes, tais como a do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica4 – SAEB – (BRASIL, 2007) referente
à disciplina de Língua Portuguesa. Muitos professores 

1° TEMA – A VIDA DO REI DO BAIÃO


ESCOLA MUNICIPAL SANTO ANTÔNIO
ENGENHO BARRA DE JANGADA
CORTÊS PE

“AQUELA SANFONA BRANCA, AQUELE CHAPÉU DE COURO,
É QUEM MEU POVO PROCLAMA: LUIZ GONZAGA É DE OURO.”
BENITO DE PAULA.




        PROJETO INTERDISCIPLINAR 2012
          
              “A ESCOLA SANTO ANTÔNIO NO CENTENÁRIO DO GONZAGÃO”


         Neste ano comemoramos 100 anos de aniversário de Luiz Gonzaga, que nasceu no dia 13 de dezembro de 1912, na cidade de Exu, em Pernambuco. A intencionalidade da ação pedagógica a ser desenvolvida em nossa escola e na agrovila de barra de jangada, dentro da proposta do projeto interdisciplinar, é de vivenciar com nossos alunos e professores a vida e a obra deste compositor e cantor que recebeu o titulo do rei do baião, descobrindo o seu universo revelado em suas canções que retratam muito da vivência e da realidade natural do povo brasileiro e em especial, do povo nordestino.

Objetivo da ação pedagógica
          Promover o conhecimento da vida e da obra de Luiz Gonzaga, bem como apreciar suas músicas, compreendendo sua diversidade e reconhecendo os valores incorporados a cultura pernambucana.
Desenvolvimento das atividades
Junho – Apresentação do projeto e culminância nos festejos juninos.
Julho – pesquisas da vida e obra de Luiz Gonzaga
Agosto – pesquisas da vida e obra de Luiz Gonzaga
Setembro – desfile cívico e grande culminância do projeto: “A ESCOLA SANTO ANTÔNIO, NO CENTENÁRIO DO GONZAGÃO”.

1° TEMA –  A VIDA DO REI DO BAIÃO
“Minha vida é andar, por esse país
Pra ver se um dia, descanso feliz
Guardando a recordação , das terras onde passei
Andando pelos sertões, e dos amigos que lá deixei
Chuva e sol, poeira e carvão
Longe de casa, sigo o roteiro mais uma estação
E a alegria no coração”
(Vida de viajante – Luiz Gonzaga/ Hervê Cardovil)

- A sua Exu.

- A infância

- A obra

- o reconhecimento


2° TEMA – OS RITMOS E DANÇA DO SERTÃO.

“ Sanfona velha do fole furado
Só faz fum, só faz fum
Mesmo assim o cavalheiro faz um refungado
E o coração da morena faz tum, tum
O sanfoneiro animado puxa o fole
Depois de tomar um gole de rum
E haja fum, haja fum, forró com fole
É forro número 1”
( forró número 1 – Ceceú)

- Xaxado

- Baião

- Xote

- As quadrilhas (marchas juninas)

- Côco de roda

3° TEMA   - O POVO NORDESTINO NAS MÚSICAS  DO REI 

"Meninos brincando de roda
Velhos soltando balão
Moças em volta a fogueira
Brincando com o coração
Eita, São João dos meus sonhos
Eita, saudoso sertão"...
(Noites brasileiras _ Luiz Gonzaga / Zé Dantas)

- As adversidades na vida do nordestino

- Os costumes

-O cotidiano do nordestino

4° TEMA - CULINÁRIA NORDESTINA E MEDICINA POPULAR

"Morena eu quero chá, eu quero chá,
eu quero chá, morena velha
eu quero chá"...
(quero chá _ Luiz Gonzaga / José Marcolino)

- Baião de dois

- As frutas do sertão

- A carne de sol e de bode

- O uso das plantas medicinais


5° TEMA - A RIQUEZA DO ARTESANATO NORDESTINO

"Olê muié rendeira,
Olê muié rendá,
Tu me ensina a fazê renda
Que eu ti ensino a namorá"
(Olha a pisada - Luiz Gonzaga / Zé Dantas)

- Bordados e renda

- Produtos de couro

- Bonecos de Vitalino

6° TEMA - CARUARU: A CIDADE CANTADA PELO REI

"Tem loiça, tem ferro véio,
Sorvete de raspa que faz jaú,
Gelada, cardo de cana,
Fruta de paima e mandacaru.
Bunecos de vitalino,
Que são cunhecidos inté no sul,
De tudo que há no mundo,
Tem na feira de caruaru."
(A feira de caruaru - Onildo Almeida)

-Vitalino
-A feira
-A arte do barro

7º TEMA - O REI NA DEFESA DO MEIO AMBIENTE

"Não posso respirar, não posso mais nadar
A terra está morrendo, não dá mais pra plantar
Se plantar não nasce, se nascer não dá
Até pinga da boa é díficil de encontrar"
(Xote ecológico - Luiz Gonzaga / Agnaldo Batista)
 
- A fauna
- A flora
- Os rios
- Problemas ambientais

8º TEMA - FESTEJOS JUNINOS

"Olha pro céu, meu amor
Vê como ele está lindo,
Olha praquele balão multicor
Como no céu vai sumindo"

- As festas
- As comidas
- As danças

9º TEMA - A POESIA DO SERTÃO

-Escritores nordestinos
-Cordelistas
-Repentistas

10º TEMA - OS ESTADOS NORDESTINOS

"Sr. repórter já que tá me entrevistando
vá anotando pra botar no seu jornal
que meu Nordeste tá mudando
publique isso pra ficar documentado"
(Nordeste pra frente - Luiz Gonzaga / Luiz Queiroga)

-Características
-Economia
-Sociedade
-Cultura

11º TEMA - O CANGAÇO NO SERTÃO DO REI

"Lampião quando pegava
Macaco, não tinha dó
Quando a cabra trastejava
Ele dava no gogó
Porém Maria Bonita
O enrolava no gogó"
(Lampião - Era besta não - Luiz Gonzaga / Solange Veras)

- O casal Maria Bonita e Lampião
- Os costumes
- Heróis ou bandidos?
- Curiosidades sobre o cangaço

12º TEMA - COMPANHEIROS DE ESTRADA

"Cumpadre se tá vendo o que eu não tô vendo
Cumpadre olha quanto murundú,
Tem muié no salão de todo jeito.
Mas vamos repartir direito, uma pra mim outra pra tu
Cumpadre tu tará desconfiando.
Do compadre conterrâneo, fio do Véio Januário..."
(Uma pra mim outra pra tu - Luis Gonzaga / João Silva)

- Humberto Teixeira
- Dominguinhos
- Zé Dantas
- Gonzaguinha
- João Silva
- Onildo Almeida
- Patativa do Assaré
- Elba Ramalho
- Marinês


"Gostaria que lembrassem que sou filho de januário e dona Santana,
Gostaria que lembrassem muito de mim; que esse sanfoneiro amou muito seu povo, o Sertão. Decantou as aves, os animais, os padres, os cangaceiros, os retirantes. Decantou os valentes, os covardes e também o amor".
(Luíz Gonzaga - Rei do Baião)


ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL



SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CULTURA E DESPORTO
PRAÇA 29 DE DEZEMBRO Nº 57
DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO

                       ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL




Objetivos:
• Incentivar aos bons hábitos alimentares;
• Identificar as preferências alimentar dos alunos;
• Conscientizar os alunos sobre a importância e os motivos pelos quais nos alimentamos;
• Reconhecer os alimentos que faz bem à nossa saúde;
• Identificar cores, textura e os diferentes sabores dos alimentos.

Procedimentos:
Uma alimentação, quando adequada e variada, previne deficiências nutricionais, e protege contra doenças infecciosas, porque é rica em nutrientes que podem melhorar as defesas do organismo. Nutrientes são compostos químicos encontrados nos alimentos que têm funções específicas, funcionam associadamente, e se dividem em:
  Macronutrientes:
  Carboidratos, proteínas e lipídeos;
  Micronutrientes:
  Vitaminas e sais minerais.
Carboidratos
De uma forma geral, todos os grupos de alimentos exceto as carnes, os óleos, as gorduras e o sal, possuem carboidratos. Estes podem ser: Simples: como os açúcares e o mel: Os açúcares simples não são necessários ao organismo humano, pois apesar de ser fonte de energia, esta pode ser adquirida por meio dos carboidratos complexos. Sendo assim, é importante diminuir as quantidades de açúcares simples adicionados aos alimentos.
Complexos: presentes principalmente nos cereais (arroz, pão, milho), tubérculos (batata, beterraba) e raízes (mandioca, inhame), os quais representam a mais importante fonte de energia e, por esta razão, recomenda-se o consumo de seis porções diárias desse tipo de alimento, o que representa em torno de 60% do total de calorias ingeridas.
Fibras
Uma alimentação saudável deve incluir os carboidratos complexos e fibras alimentares em maior quantidade do que os carboidratos simples. Na sua forma integral, a maioria dos alimentos vegetais como grãos, tubérculos e raízes, as frutas, verduras e legumes contêm fibras, as quais são benéficas para a função intestinal, reduzem o risco de doenças cardíacas, entre outros diversos benefícios. A quantidade de fibras na alimentação é uma medida de uma alimentação saudável. As frutas, legumes e vegetais são ricos em vitaminas, minerais e fibras, necessitando-se consumir, diariamente, três porções de frutas e três porções de legumes e verduras. É importante variar o consumo desse tipo de alimento, tendo em vista que o consumo regular e variado, juntamente com alimentos ricos em carboidratos menos refinados (pães e arroz integrais), oferecem quantidade significante de vitaminas e minerais, aumentando a resistência a infecções. Além das vitaminas e minerais, as verduras e os legumes também contêm componentes bioativos, alguns dos quais especialmente importantes para a saúde humana, podendo reduzir o risco de doenças, inclusive as doenças cardíacas e o câncer.
Proteínas
Origem vegetal: leguminosas como feijão, soja, grão-de-bico, lentilha, são alimentos fundamentais para saúde, por serem um dos alimentos vegetais mais ricos em proteínas. Entretanto, estas proteínas são consideradas incompletas, ao contrário das proteínas de origem animal, necessitando então, de combinações de alimentos que completem entre si os aminoácidos, tornando-se combinações de alto valor protéico como, por exemplo, a combinação de duas partes de arroz para uma parte de feijão.

Origem animal: carnes, leite e derivados, aves, peixes e ovos são proteínas completas, ou seja, contêm todos os aminoácidos de que os seres humanos necessitam para o crescimento e manutenção do corpo. São também, entre outros nutrientes, importantes fontes de proteína de alto valor biológico sendo, assim, necessário o consumo diário de três porções de leites e derivados e de uma porção de carnes, peixes ou ovos. As carnes selecionadas para o consumo devem ser aquelas com menor quantidade de gordura (magras, sempre retirando as peles e gorduras visíveis), sendo consumidas moderadamente, devido ao alto teor de gorduras saturadas e colesterol.
Ferro e Cálcio
As carnes em geral, principalmente os miúdos e vísceras, possuem alta biodisponibilidade de ferro, ou seja, a quantidade de ferro ingerida que será efetivamente utilizada pelo organismo é significativamente grande. O leite e seus derivados, além de fonte de proteínas e vitaminas, são as principais fontes de cálcio da alimentação. Este nutriente é fundamental para a formação e manutenção óssea ao longo da vida, prevenindo futuras complicações como a osteoporose.
Gorduras
Lipídeos: As gorduras são de diferentes tipos, e podem ou não ser prejudiciais à saúde, dependendo do tipo de alimento. A gordura saturada está presente em alimentos de origem animal, e seu consumo deve ser moderado. As gorduras trans que são obtidas pelo processo de industrialização dos alimentos, a partir da hidrogenação de óleos vegetais, são prejudiciais à saúde. O consumo excessivo deste tipo de alimento pode acarretar doenças cardiovasculares, excesso de peso, obesidade, entre outras. As gorduras insaturadas, presentes nos óleos vegetais, não causam problemas de saúde, exceto se forem consumidas exageradamente. São fontes de ácidos graxos essenciais, ou seja, podem ser produzidos pelo organismo, sendo assim necessárias para a manutenção da saúde.

Colesterol: O colesterol é uma gordura que está presente apenas em alimentos de origem animal, e é componente estrutural de algumas partes do organismo humano, sendo ele capaz de sintetizar o suficiente para cobrir as necessidades metabólicas, não sendo indicado o consumo desse composto. O alto consumo deste pode acarretar doenças cardiovasculares.
Sal
O sal de cozinha - cloreto de sódio - utilizado como tempero e conservação de alimentos, contém sódio em sua composição, bem como outro tempero atualmente muito utilizado, o glutamato de sódio - este mineral quando consumido em excesso é prejudicial à saúde. Sendo assim, recomenda-se a redução no consumo de alimentos com alta concentração de sal, como temperos prontos, caldos concentrados, molhos prontos, salgadinhos, entre outros.
Água
A água é um nutriente indispensável ao funcionamento do organismo; a ingestão de, no mínimo, dois litros diariamente é altamente recomendada. Ela desempenha papel fundamental na regulação de muitas funções vitais do organismo, incluindo regulação da temperatura, transporte de nutrientes e eliminação de substâncias tóxicas. Recomenda-se a ingestão de 6 a 8 copos de água por dia.
Atividade Física
É muito importante a prática de exercícios físicos regularmente, aliada a uma alimentação saudável, o que previne o sobrepeso e a obesidade, além de trazer benefícios para saúde mental e emocional. As pessoas fisicamente ativas são profissionalmente mais produtivas, e desenvolvem maior resistência a doenças. Para ter uma vida saudável, associe sempre uma alimentação equilibrada, com o consumo de água e a prática de atividades físicas regularmente. Assegurando, assim, o aumento da imunidade, o peso ideal e a prevenção de doenças.
 Assunto - Verduras
Confecção de carimbos com batata
Explorar com s verduras cores e texturas
  Assunto - Legumes

Fazer com os alunos uma sopa utilizando cenoura, chuchu, beterraba, batata

Colagem com papel camurça.

 Assunto: Rótulos
Trabalhar com os alunos rótulos de embalagens de alimentos
Utilizar as embalagens trazidas pelos alunos e montar um mural com informações de cada alimento.
 Assunto: Hortaliças/ Higiene com os alimentos
Montar uma horta na escola
Junto com os alunos lavar os alimento e mostrar os cuidados que devemos ter com os alimento Lavar antes de comê-los, comer alimentos naturais e saudáveis.
Fazer a degustação de tomate, alface, cenoura atividades de desenho.
 Assuntos - Vitaminas
Explorar com os alunos as frutas que serão utilizadas na vitamina - banana e maçã.
Trabalhar a importância do leite no desenvolvimento da criança.
Alimentos não - saudáveis
Mostrar que alguns alimentos devem ser consumidos com moderação
Confeccionar um mural com esses alimentos e registrar os comentários no blocos
Exemplos de alimentos que devem ser consumidos com moderação: pirulito, chiclete, balas, doces, refrigerantes, entre outros.

Assunto - Derivados do Leite
ao organismo humano, pois apesar de ser fonte de energia, esta pode ser adquirida por meio dos carboidratos complexos. Sendo assim, é importante diminuir as quantidades de açúcares simples adicionados aos alimentos.
Complexos: presentes principalmente nos cereais (arroz, pão, milho), tubérculos (batata, beterraba) e raízes (mandioca, inhame), os quais representam a mais importante fonte de energia e, por esta razão, recomenda-se o consumo de seis porções diárias desse tipo de alimento, o que representa em torno de 60% do total de calorias ingeridas.
Fibras
Uma alimentação saudável deve incluir os carboidratos complexos e fibras alimentares em maior quantidade do que os carboidratos simples. Na sua forma integral, a maioria dos alimentos vegetais como grãos, tubérculos e raízes, as frutas, verduras e legumes contêm fibras, as quais são benéficas para a função intestinal, reduzem o risco de doenças cardíacas, entre outros diversos benefícios.
A quantidade de fibras na alimentação é uma medida de uma alimentação saudável. As frutas, legumes e vegetais são ricos em vitaminas, minerais e fibras, necessitando-se consumir, diariamente, três porções de frutas e três porções de legumes e verduras. É importante variar o consumo desse tipo de alimento, tendo em vista que o consumo regular e variado, juntamente com alimentos ricos em carboidratos menos refinados (pães e arroz integrais), oferecem quantidade significante de vitaminas e minerais, aumentando a resistência a infecções. Além das vitaminas e minerais, as verduras e os legumes também contêm componentes bioativos, alguns dos quais especialmente importantes para a saúde humana, podendo reduzir o risco de doenças, inclusive as doenças cardíacas e o câncer.
Proteínas
Origem vegetal: leguminosas como feijão, soja, grão-de-bico, lentilha, são alimentos fundamentais para saúde, por serem um dos alimentos vegetais mais ricos em proteínas. Entretanto, estas proteínas são consideradas incompletas, ao contrário das proteínas de origem animal, necessitando então, de combinações de alimentos que completem entre si os aminoácidos, tornando-se combinações de alto valor protéico como, por exemplo, a combinação de duas partes de arroz para uma parte de feijão.

Origem animal: carnes, leite e derivados, aves, peixes e ovos são proteínas completas, ou seja, contêm todos os aminoácidos de que os seres humanos necessitam para o crescimento e manutenção do corpo. São também, entre outros nutrientes, importantes fontes de proteína de alto valor biológico sendo, assim, necessário o consumo diário de três porções de leites e derivados e de uma porção de carnes, peixes ou ovos. As carnes selecionadas para o consumo devem ser aquelas com menor quantidade de gordura (magras, sempre retirando as peles e gorduras visíveis), sendo consumidas moderadamente, devido ao alto teor de gorduras saturadas e colesterol.
Ferro e Cálcio
As carnes em geral, principalmente os miúdos e vísceras, possuem alta biodisponibilidade de ferro, ou seja, a quantidade de ferro ingerida que será efetivamente utilizada pelo organismo é significativamente grande. O leite e seus derivados, além de fonte de proteínas e vitaminas, são as principais fontes de cálcio da alimentação. Este nutriente é fundamental para a formação e manutenção óssea ao longo da vida, prevenindo futuras complicações como a osteoporose.
Gorduras
Lipídeos: As gorduras são de diferentes tipos, e podem ou não ser prejudiciais à saúde, dependendo do tipo de alimento. A gordura saturada está presente em alimentos de origem animal, e seu consumo deve ser moderado. As gorduras trans que são obtidas pelo processo de industrialização dos alimentos, a partir da hidrogenação de óleos vegetais, são prejudiciais à saúde. O consumo excessivo deste tipo de alimento pode acarretar doenças cardiovasculares, excesso de peso, obesidade, entre outras. As gorduras insaturadas, presentes nos óleos vegetais, não causam problemas de saúde, exceto se forem consumidas exageradamente. São fontes de ácidos graxos essenciais, ou seja, podem ser produzidos pelo organismo, sendo assim necessárias para a manutenção da saúde.

Colesterol: O colesterol é uma gordura que está presente apenas em alimentos de origem animal, e é componente estrutural de algumas partes do organismo humano, sendo ele capaz de sintetizar o suficiente para cobrir as necessidades metabólicas, não sendo indicado o consumo desse composto. O alto consumo deste pode acarretar doenças cardiovasculares.
Sal
O sal de cozinha - cloreto de sódio - utilizado como tempero e conservação de alimentos, contém sódio em sua composição, bem como outro tempero atualmente muito utilizado, o glutamato de sódio - este mineral quando consumido em excesso é prejudicial à saúde. Sendo assim, recomenda-se a redução no consumo de alimentos com alta concentração de sal, como temperos prontos, caldos concentrados, molhos prontos, salgadinhos, entre outros.
Água : A água é um nutriente indispensável ao funcionamento do organismo; a ingestão de, no mínimo, dois litros diariamente é altamente recomendada. Ela desempenha papel fundamental na regulação de muitas funções vitais do organismo, incluindo regulação da temperatura, transporte de nutrientes e eliminação de substâncias tóxicas. Recomenda-se a ingestão de 6 a 8 copos de água por dia.
Atividade Física
É muito importante a prática de exercícios físicos regularmente, aliada a uma alimentação saudável, o que previne o sobrepeso e a obesidade, além de trazer benefícios para saúde mental e emocional. As pessoas fisicamente ativas são profissionalmente mais produtivas, e desenvolvem maior resistência a doenças. Para ter uma vida saudável, associe sempre uma alimentação equilibrada, com o consumo de água e a prática de atividades físicas regularmente. Assegurando, assim, o aumento da imunidade, o peso ideal e a prevenção de doenças.

METODOLOGIA/ESTRATÉGIAS:

A proposta metodológica baseia-se nos trabalhos de Piaget e Vigotsky, uma metodologia de ensino construtivista, respeitando as etapas de desenvolvimento da criança; sob a forma de projetos de ensino e de pesquisa.

• Procedimentos Metodológicos:

- Leituras diversas.
- Músicas.
- Poesia.
- trabalhos de Arte.
- Cardápios.
- Tabelas.
- Atividades de matemática.
- Pesquisas.
- Entrevistas.
- Receitas.
- Desenhos.
- Murais.
- Propagandas.

RECURSOS

- Livros;
- Revistas;
- Papel Pardo;
- Tesoura;
- Cola;
- Passeios;
- Micro Sister;
- DVD;
- Giz;
- Lousa;
- Sulfite;
-Tinta guache;
- Massinha de modelar;
- Lápis de Cor;
- Canetinhas;
- E.V.A;
-Cartolina.

AVALIAÇÃO

A avaliação ocorrerá paralelamente as atividades desenvolvidas, onde o professor avaliará qualitativamente o grau de participação, envolvimento, colaboração e compreensão ao assunto.
A avaliação será um processo cumulativo à aquisição de conhecimentos e mudanças de atitudes para com a conscientização sobre a alimentação saudável para se ter uma vida saudável.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

- CASTORINA, José Antônio; FERREIRA, Emília; LERSNER, Delia; OLIVEIRA, Marta Kohl de Piaget e Vigotsk
y. Novas contribuições para debate. Ática. São Paulo: 1998.

quinta-feira, 25 de abril de 2013

PROJETO ESCOLAR 2010


PROJETO ESCOLAR 2010
TEMA:
Resgatando e Valorizando o Meio Ambiente e a Diversidade Cultural Regional
 
SUBTEMAS:
1º SEMESTRE:
Diversidade Cultural de Ulianópolis
 
2º SEMESTRE:
Educação Ambiental: Resposabilidade de todos
SUMÁRIO

I – APRESENTAÇÃO
II – JUSTIFICATIVA
III – OBJETIVO GERAL
3.1 – OBJETIVOS ESPECÍFICOS
IV – METODOLOGIAS
V – RECURSOS
5.1 – RECURSOS MATERIAIS
5.1 – RECURSOS HUMANOS
5.1 – RECURSOS FÍSICOS
VI – AVALIAÇÕES
VII – AÇÕES
VIII – ORGANIZADORES    
I - APRESENTAÇÃO
 
“Nada posso lhe dar o que já não exista em você mesmo [...] Nada posso lhe dar a não ser a oportunidade, o impulso, a chave, [...] ajudarei a tornar visível o seu próprio mundo, e isso é tudo” (Hermann Hesse).
 
Atualmente inúmeras obras trazem temas em sucessivas mutações na área educacional, sugerindo a adoção de novas concepções, de educação, delineados pelos PCN’s - Parâmetros Curriculares Nacionais, incluindo a interdisciplinaridade a transversalidade, a ludicidade, a contextualização, as inteligências múltiplas, entre outros nomes que configuram vez por outra as práticas educativas, às vezes sem nem mesmo compreendermos o que conceitua, ou se é só uma questão de nomenclatura. Educadores de todos os níveis viajam sem bússola, pois temem dar um passo para além das dúvidas.
 
Cientes da necessidade de adotar uma nova postura profissional no âmbito educativo e visando desenvolver um trabalho investigativo e construtivo dando ênfase uma aprendizagem baseada em métodos sociointeracionista, temos como eixo norteador um tema transversal traçado nesse projeto com o intuito de potencializar o trabalho docente unindo teoria e prática com autonomia e autodeterminação, fornecendo uma aprendizagem segura e confiável, resgatando valores morais de solidariedade, justiça, tolerância, diálogo, afeto, cooperação, respeito mútuo.
 
Acreditamos ser um trabalho pedagógico com base na pedagogia de projetos, uma possibilidade auxiliar para o redirecionar da escola e da prática do educador para reconstrução do dia-a-dia escolar, tornando assim o aprender mais atrativo e motivador.
II - JUSTIFICATIVA
 
As escolas atualmente preocupam-se com a qualidade do ensino que oferecem aos seus educandos, é importante salientar que para alcançar esse patamar, cabe ao corpo docente, ao elaborarem seus currículos e projetos educativos evidenciarem e priorizarem conteúdos segundo sua realidade local, tanto no que se refere às conjunturas sociais específicas quanto ao nível de desenvolvimento dos alunos.
 
Considerando que o homem é um ser de ação relação capaz de transformar-se e de transformar o mundo que o cerca, acreditamos serem os projetos educacionais um instrumento para que as transformações se efetivem mais concretamente. Os projetos são iniciativas diversificadas e interdisciplinares a partir de conhecimentos e questionamentos da realidade, o que gera aprendizado de conteúdos conceituais e procedimentais e atitudinais no contexto escolar.
 
Sendo assim, nós, da Escola Marissanta Passarinho, localizada na Avenida Amazonas, S/N, Bairro Boa Vista, nesta cidade, atendendo as modalidades do 1º ano a 8ª série do Ensino Fundamental e 3ª e 4ª etapas de EJA – Educação de Jovens e Adultos, tendo como prática pedagógica a realização de avaliações diagnósticas que no início do ano letivo foram desenvolvidas com o objetivo de sondar as problemáticas no ambiente escolar, onde analisando com clareza o nível de aprendizagem das turmas e as necessidades que deverão ser trabalhadas de acordo com o eixo temático da escola.
 
Portanto, por vivermos em município imigratório, onde há uma cultura diversificada e rica, a equipe de profissionais desta entidade de ensino optou em trabalhar no corrente ano a temática: “Respeitando e valorizando o meio ambiente e a diversidade cultural regional”, com o propósito de valorizar na comunidade escolar o conhecimento e a preservação ambiental e cultural e das características étnicas, culturais e de conservação do meio ambiente, incentivando mudanças de mentalidades das pessoas em relação a essas questões sociais que tanto nos preocupam e, com isso surgirá novas concepções de preservação da fauna e flora local e também, superando os preconceitos e atitudes discriminatórias que são finalidades que envolvem lidar com valores de reconhecimento e respeito mútuo, o que é tarefa para a comunidade como um todo.  Através do projeto proporcionaremos aos educandos oportunidade de conhecimento de suas origens como brasileiro e como participante e integrante de grupos culturais específicos.
 
O Educador desenvolverá o papel de mediador do saber, desempenhando atitudes compatíveis com postura ética, valorizando a dignidade, justiça, igualdade e a prática da liberdade, visando a melhoria da qualidade de vida na comunidade escolar.
 
Ao desenvolver esse projeto serão executadas ações e atividades sistematizadas e interdisciplinares, por meio de aulas práticas, pesquisas, leituras suplementares, trabalhos em grupos, dando prioridade a conscientização, respeito e valorização da vida no planeta terra e ao conhecimento da pluralidade cultural da região em que nos encontramos.
III - OBJETIVO GERAL
 
Propiciar aos educandos estudos reflexivos e significativos sobre a valorização e respeito ao meio ambiente e a pluralidade cultural regional conscientizando-se da importância da preservação de todo ecossistema terrestre e o reconhecimento das características étnicas e culturais dos diferentes grupos sociais que convivem em nossa região, repugnando as desigualdades socioeconômicas, discriminação racial, exclusão social que permeiam à comunidade escolar.
 
 
3.1 - OBJETIVOS ESPECÍFICOS
 
·         Desenvolver de forma coletiva e harmoniosa a prática de preservação do meio ambiente intra e extra-escolar;
·         Proporcionar estudos reflexivos e aprofundados a respeito da diversidade cultural de nossa região, dando prioridade ao conhecimento e valorização da mesma, como: crenças, costumes, danças, artesanato, etc.
·         Desenvolver atividades estimulantes e significativas com o propósito de melhoria da aprendizagem;
·         Reconhecer por meio de experiências vivenciadas e pesquisas possíveis as conseqüências que a poluição ambiental pode causar ao planeta e conseqüentemente à humanidade;
·         Conhecer por meio de pesquisas a história do município de Ulianópolis e sua formação cultural, econômica e social;
·         Perceber-se integrante, dependente e agente transformador do ambiente onde vive;
·         Reconhecer a educação ambiental como um meio de vida longa e saudável na região onde vivemos.
 
IV - METODOLOGIA
 
A pedagogia de projetos interdisciplinares vem se tornando uma exigência dos métodos de construção do conhecimento, se partindo do princípio em que o aluno se torna o sujeito ativo nas ações implementadas pelo educador, tornando-se o principal responsável pela construção seu conhecimento e com isso, construindo significados concretos para as coisas que aprende.

Os educadores da Escola Marissanta Passarinho procuram sempre inovar a sua prática de acordo com a proposta pedagógica da escola, proporcionando à sua clientela momentos de reflexão, debates, discussões e participação efetiva na formação de uma aprendizagem qualitativa, mas para isso, é preciso manter uma relação harmoniosa e afetiva entre todos, assumindo uma posição horizontal, de igualdade, diálogo e compromisso com o desenvolvimento educacional, com o objetivo de construir coletivamente o conhecimento, ou seja, ambos são sujeitos no processo da aquisição de novos saberes.

Partindo desse princípio optamos em elaborar o projeto “Respeitando e valorizando o meio ambiente e a diversidade cultural regional”, onde todas as ações e métodos que compõem este documento foram pensados, discutidos e analisados por toda a equipe de profissionais desta casa de ensino, com perspectiva de desenvolver as técnicas e habilidades dos educandos de forma interdisciplinar, transversal, e lúdica, dando ênfase aos seguintes critérios metodológicos:
 
·         Avaliação diagnóstica;
·         Momentos espirituais;
·         Debates;
·         Seminários;
·         Realização de trabalhos individuais e coletivos;
·         Palestras;
·         Aula passeio;
·         Passeatas
·         Dinâmicas de grupo;
·         Jogos educativos;
·         Atividades lúdicas (gincana, caça ao tesouro, concursos,
·         olimpíadas, oficinas, jogos, etc.);
·         Exposição de trabalhos referentes ao meio ambiente e
·         pluralidade cultural regional;
·         Avaliação qualitativa e quantitativa e formativa;
·         Autoavaliação;
·         Confeccionar painéis, cartazes e murais.
 
Assim, a escola Marissanta Através deste leque de metodologias pretende sanar as dificuldades e necessidades de sua clientela, motivando-os a uma relação intra e interpessoal harmoniosa, tornando-os cidadãos críticos, responsáveis e participativos na comunidade em que estão inseridos.
V - RECURSOS
 
Ao longo do desenvolvimento do projeto serão utilizados os recursos, que são instrumentos pedagógicos essenciais para o desempenho cognitivo, emocional, artístico, criativo e social dos educandos na comunidade escolar, estimulando-os à aquisição de novos saberes e conseqüentemente no aprimoramento da sua visão de mundo. Os recursos que a escola utilizará nas aplicações das atividades são: recursos materiais, recursos humanos e recursos físicos.
 
 
5.1 - RECURSOS MATERIAIS
 
Mapas;
Pincel atômico;
Caneta hidrocor;
Papéis diversos;
Lápis de cor e de cera;
Tesoura sem ponta;
Grampeador;
Televisão, DVD e Videokê;
E.V.A.
Cola gliter, cola branca, cola de isopor;
Revistas e jornais;
Caixa amplificada e microfone;
Microsystem e CDs;
Murais e painéis;
Ônibus escolar;
Livros didáticos e paradidáticos;
Máquina fotográfica, retroprojetor e filmadora;
Computadores, impressoras, scanner, cartuchos de tinta;
TNT, fitas adesivas, cola quente;
Outros.
 
 
5.2 - RECURSOS HUMANOS
 
Os recursos humanos são formados por todos que irão empenhar-se no desenvolvimento do projeto: direção, vice-direção, coordenação pedagógica, professores, secretariado, auxiliares, alunos e família.
 

5.3 - RECURSOS FÍSICOS
 
Auditório Suely Xavier;
Quadra poliesportiva;
Biblioteca pública municipal;
Ginásio poliesportivo Bosco Gabriel;
Outros.
VI - AVALIAÇÃO
 
“[...] o conceito “avaliação” é formulado a partir das determinações da conduta de atribuir um valor ou qualidade a alguma coisa, ato ou curso de ação, que por si implica um posicionamento positivo ou negativo em relação ao objeto, ato ou curso de ação avaliado” (LUKESI, 1998, p 76).

A avaliação escolar se apresenta como o retrato da escola, é o reflexo da educação que ela valoriza, portanto deve ser integrada às realidades sociais, sendo o mais precioso mecanismo de acompanhamento do desenvolvimento da relação professor-aluno ou vice-versa, uma vez que nos revela a realidade interpessoal da sala de aula. E o papel da escola, onde labutam professores engajados em trabalhar essas realidades é o de preparar o futuro homem a combater veementemente as desigualdades, injustiças e lutar por um mundo saudável e pacífico, onde todos possam viver com dignidade e respeito mútuo.

Partindo dessa concepção, os profissionais da Escola Marissanta neste ano letivo de 2010, desenvolverão a avaliação articulada ao projeto político pedagógico da escola, onde terá seu sentido mais autêntico e significativo. Com a execução da proposta temática dos educadores buscarão incessantemente uma nova visão de avaliação, dando ênfase a aspectos qualitativos da aprendizagem, que serão avaliados freqüentemente com o propósito de rever planos e corrigir possíveis desvios, tendo em foco todo o currículo educacional do educando e conseqüentemente a sua formação social, cognitiva e emocional.

Portanto, a avaliação desenvolvida ao longo do projeto tem por finalidade:
Estimular o aluno a reflexões de situações vividas, a formular hipóteses, dirigindo a um conhecimento enriquecido;
Contribuir no desenvolvimento das habilidades para a aquisição das competências;
Respeitar as aptidões dos educandos e suas concepções prévias;
Observar e acompanhar de perto o processo de desenvolvimento dos alunos;
Proporcionar ao educando saberes significativos e favoráveis ao seu desempenho emocional, social e intelectual;
Diversificar os instrumentos avaliativos para abranger as necessidades encontradas em cada turma.

"A avaliação significa ação provocativa do professor, desafiando o educando e refletir sobre as situações vividas, a formular e reformular hipóteses, encaminhando-se a um saber enriquecido” (HOFFMANN, 1994, p. 58).

Ao longo do ano letivo os alunos serão avaliados de acordo com as atividades teóricas e práticas intra e extra-escolar desenvolvidas no âmbito pedagógico, priorizando as ações pedagógicas interdisciplinares e transversais, estimulando-os ao compromisso e responsabilidade.
VII - AÇÕES
 
Trabalhar com um projeto pedagógico é adotar uma concepção interdisciplinar e transversal, explorando todas as áreas do conhecimento de forma contextualizada e interacionista, fomentando no educando o gosto e desejo de aprender mais, através de estudos reflexivos, pesquisas, danças entre outros.
 
“A interdisciplinaridade promove um momento singular aquele em que exige uma reflexão profunda e sincera sobre práticas” (autor desconhecido).
 
·         Estudos e pesquisa sobre a origem do município de Ulianópolis;
·         Palestras com moradores mais antigos que ajudaram a fundar o
·         município de Ulianópolis;
·         Estudos da letra do Hino de Ulianópolis e roda de conversa com a autora do hino Luciana Ginelli Braga;
·         Exposição e apresentação de poesias, jogral e paródia feita pelos alunos sobre o município;
·         Construção e exposição de maquetes de alguns pontos de referência pelos alunos sobre o município;
·         Estudos, pesquisas e exposição de ervas medicinais mais conhecidas na região e usadas no tratamento de certas doenças;
·         Pesquisas e estudos de comidas típicas regionais existentes em nosso município;
·         Estudos, pesquisas e construção de um livro resgatando a história de Ulianópolis desde sua origem até os dias atuais;
·         Estudos, pesquisas e apresentações de festas tradicionais vivenciadas pela população do município, tanto populares, quanto religiosa e desportiva;
·         Entrevista com pessoas de diferentes culturas que moram no município;
·         Apresentação dos cantores da terra;
·         Palestra com pessoas da área de relações humanas sobre valores familiares;
·         Roda de conversa com pessoas da secretaria de meio ambiente sobre áreas de reflorestamento do município;
·         Estudos e pesquisas sobre saneamento básico e sua importância para a população municipal;
·         Aula passeio ao principal rio do município para pesquisa sobre vegetação ciliar e assoreamento;
·         Elaboração e exposição de gráficos contendo dados sobre o desenvolvimento econômico;
·         Aula passeio à feira (mercado municipal) para pesquisa sobre origem dos produtos agrícolas consumido pela população local;
·         Construção e exposição de trabalhos referente as datas comemorativas contidas no calendário letivo.
VIII – ORGANIZADORES
 
IX – REFERENCIAS
 
BANO, Marcos. Preconceitos Lingüísticos, o que é, como se faz. Loyola. São Paulo, 1999.

CHALITA, Gabriel. Educação: a solução está no afeto. 17 ed. São Paulo: Gente, 2004.

PCNs - Parâmetros Curriculares Nacionais: pluralidade cultural e meio ambiente. Brasília, MECS/SEF, 1997.

QUEIROZ, Tânia Dias. Pedagogia de projetos interdisciplinares uma proposta de construção de conhecimentos a partir de projetos. São Paulo: Reideel, 2001.

REVISTA NOVA ESCOLA. Ler em todas as disciplinas, edição especial. São Paulo: Abril. n. 28, Nov. 2009.