Viajando No Mundo dos Contos de Fada

Viajando No Mundo dos Contos de Fada

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

    SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CULTURA DESPORTO
PRAÇA29 DE DEZEMBRO     57
DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO
DATAS COMEMORATIVAS PARA O MÊS DE SETEMBRO
DIAS LETIVOS: 21 DIAS

  DATA
ATIVIDADES

05/09
DIA DA AMAZÔNIA: A Amazônia deve ser preservada,pois é a maior reserva do planeta Amazônia e proporciona equilíbrio ambiental do mundo.
01 a 07
SEMANA DA PÁTRIA:
É preciso trabalharmosa Semana da Pátria com nossos alunos, levando-os a conhecer os problemas sociais, econômicos e políticos que constituem obstáculos e dificuldades para o engrandecimento do nosso país, bem como as grandes realizações, marco da nossa história,a fim de proporcionar-lhes maior compreensão, amor e espírito de luta pelo Brasil.
Durante a semana ,cantar o hino nacional,o hino de Pernambuco e o hino do Município.Poderão utilizar os hinos para trabalhar a gramática e fazer as interpretações .
07/09
DIA DA INDEPENDÊNCIA DO BRASIL:A Independência do Brasil é um dos fatos históricos mais importantes de nosso país pois marca o fim do domínio português e a conquista da autonomia política.Estamos comemorando 189 anos .
09/09
DIA DO VETERINÁRIO: Falar sobre a importância desse profissional
10/09
DIA DO FREVO: Destacar o frevo como uma Cultura Pernambucana
18/09
DIADO PERDÃO : Reconhecer que o perdão é o bom caminho para chegarmos a Deus
DIA DA CAMADA DE OZÔNIO: Identificar a importância de preservar o meio Ambiente.Trabalhar atividades relacionadas ao Meio Ambiente.
12 a 16
SEMANA DAS AVALIAÇÕES DA III ETAPA : OS EXERCÍCIOS AVALIATIVOS  SERÃO APLICADAS APÓS O RECREIO
23/09
INÍCIO DA PRIMAVERA : Vivenciar com recadinho, cartazes etc.
19 a 23
SEMANA DAS NOVAS OPORTUNIDADES : DE ACORDO COM OS RESULTADOS TRABALHAR EM CIMA DAS DIFICULDADES .ISTO NO CASO ,DAS SÉRIES INICIAIS.
NO CASO DAS SÉRIES FINAIS,FAZER O HORÁRIO DE ACORDO COM A  ESCOLA.
21/09
DIA DA ÁRVORE: Trabalhar a importância das árvores para o nosso planeta.
29/09
DIA RESERVADO PARA PLANTÃO PEDAGÓGICO.

30/09
DIA DA BÍBLIA: Identificar a importância da Bíblia pois é o livro dos livros e que todos os ensinamentos que a humanidade deve seguir
Fonte: Amiga da Educação( Autora : Maria Miranda de Souza )
Uma árvore completa, desenhar em partes e montar fala para cada parte da planta.
Escolher 05 crianças e distribuir cada parte da planta. (raiz, caule, folha, flor e fruto).
1º: Fala a árvore:
- Oi turma!
- Eu sou a árvore.
- Sou muito importante para a natureza. Se eu não existisse, nem existiria vida na terra.
Eu purifico o ar, dou sombra, frutos, protejo o solo.
2ª Fala, a folha:
- Ei, dona árvore!
- Eu também sou importante!
- Sou o pulmão da senhora, esqueceu?
- É através de mim que a senhora respira. Sou eu que fabrico o alimento que a senhora precisa.
- Eu sou a Folha!
3ª Fala, a flor:
- Ri e fala:
- Ora esta! Era só o que me faltava.
- Eu é que sou a mais importante de todos na natureza!
- Sou bela, cheirosa,delicada.
- Embelezo e perfumo tudo à minha volta, além de me transformar em deliciosos frutos.
- Eu sou a Flor!
4ª Fala, o fruto:
- Calma aí, dona flor!
- Venho da senhora, mas também sou importante.
- Sou um alimento doce, delicioso, cheiroso que todos os seres vivos precisam, para ter uma vida saudável.
EU sou o fruto!
5ª Fala, o Caule:
- Ei, vocês se esqueceram de mim?Quem sustenta a folha, a flor, o fruto?
- Quem carrega o alimento para todos vocês?
- Sou eu Claro! O mais importante
O Caule.
6ª Fala, a Semente:
- Pois é, vocês se julgam os mais importantes, mais se não fosse por mim, vocês nem existiriam.
- Eu sou a semente e todos dependem de mim.
7ª Fala, entra a Raiz:
- Puxa vida, como estou cansada!
- É duro manter todos vocês em pé e nem ser reconhecida.
- Por que vocês discutem quem é mais importante?
- Somos um só corpo, e só unidos é que somos realmente úteis e importantes.
- Eu sou a Raiz.
A seguir todos se abraçam, colocam a árvore no meio do círculo e juntos dizem vivao dia da árvore.
Sugestão: Cantar alguma música que fale de árvores

sábado, 20 de agosto de 2011

Lateralidade

Lateralidade é o uso que as pessoas fazem de uma das duas partes do seu corpo. Todas as funções corporais são determinadas pelo lado esquerdo ou pelo direito.
A criança, como também o adulto, tem sempre um lado do corpo que utiliza mais quando executa uma atividade, um movimento, como pegar e usar objetos, escrever, etc. Não se deve forçar a mudança do lado dominante da criança. O conhecimento e o domínio específico de um dos lados do corpo só é adquirido por ela quando há uma perfeita sintonia do esquema corporal.
O bebê ao nascer não tem opção por nenhum dos lados do corpo, ou seja, a posição reflexa é assimétrica: os membros do corpo ficam esticados para o lado em que a cabeça está virada. Já no terceiro mês de vida, ela entra num período de simetria: quando deitada de costas, movimenta igualmente os dois lados.
Aproximadamente com um ano meio de idade, já expressa preferência por um dos lados do corpo, notando-se isso quando ela passa a usar sempre a mesma mão para realizar determinadas tarefas. Mas nem sempre essa preferência se mantém; os dois lados são ainda utilizados.
Aos três anos ela já utiliza exclusivamente a mão dominante. É importante então não forçá-la a usar só a mão direita se o predomínio é dado à mão esquerda.

Para um efetivo conhecimento da lateralidade, é preciso levar a criança a:
- dominar a noção de esquerda/direita em relação a seu corpo e ao ambiente;
- estabelecer com clareza o lado dominante do seu corpo;
- empregar os termos direita e esquerda;
- compreender que nosso sistema de escrita é convencionado da esquerda para a direita.
O domínio da lateralidade faz parte de um complexo de habilidades que envolvem o esquema corporal, a orientação espaço-temporal e as percepções.

Conselho de classe

O Conselho de Classe é órgão colegiado de natureza consultiva e deliberativa em assuntos didático-pedagógicos, fundamentado no Projeto Político-Pedagógico da Escola, e no regimento escolar, com a responsabilidade de analisar as ações educacionais, indicando alternativas que busquem garantir a efetivação do processo ensino e aprendizagem.
Conselho de Classe constitui-se em um espaço de reflexão pedagógica, onde todos os sujeitos do processo educativo, de forma coletiva, discutem alternativas e propõe ações educativas eficazes que possam vir a sanar necessidades/dificuldades apontadas no processo ensino e aprendizagem. O Conselho de Classe caracteriza-se por sua ação coletiva, democrática, reflexiva e inovadora no processo educacional, visto que são momentos onde se permite a reflexão coletiva dos educandos, bem como as dificuldades encontradas pelos educadores (metodologia características da turma, indisciplina, descomprometimento, problemas sociais) em relação ao avanço dos alunos, ou seja, de cunho essencialmente pedagógico, onde o posicionamento de cada um é que direciona a qualidade deste momento.
Para Paulo Freire “a escola não pode tudo, mas alguma coisa ela pode”, o que caracteriza a visão de constante busca da melhoria, pois sempre se pode aprimorar o processo educacional, principalmente na troca de informações, sugestões e ajustes nas posturas de todos de modo geral.
O Conselho de Classe é constituído pelo Diretor(a) e/ou Diretor(a) Auxiliar, pelos Professores Pedagogos e por todos os Professores que atuam numa mesma turma e/ou série.
É responsabilidade da Direção presidir o Conselho de Classe e cabe ao Professor(a) Pedagogo(a) organizar as informações e dados coletados a serem estudados no Conselho de Classe.

Conselho de classe

O Conselho de Classe é órgão colegiado de natureza consultiva e deliberativa em assuntos didático-pedagógicos, fundamentado no Projeto Político-Pedagógico da Escola, e no regimento escolar, com a responsabilidade de analisar as ações educacionais, indicando alternativas que busquem garantir a efetivação do processo ensino e aprendizagem.
Conselho de Classe constitui-se em um espaço de reflexão pedagógica, onde todos os sujeitos do processo educativo, de forma coletiva, discutem alternativas e propõe ações educativas eficazes que possam vir a sanar necessidades/dificuldades apontadas no processo ensino e aprendizagem. O Conselho de Classe caracteriza-se por sua ação coletiva, democrática, reflexiva e inovadora no processo educacional, visto que são momentos onde se permite a reflexão coletiva dos educandos, bem como as dificuldades encontradas pelos educadores (metodologia características da turma, indisciplina, descomprometimento, problemas sociais) em relação ao avanço dos alunos, ou seja, de cunho essencialmente pedagógico, onde o posicionamento de cada um é que direciona a qualidade deste momento.
Para Paulo Freire “a escola não pode tudo, mas alguma coisa ela pode”, o que caracteriza a visão de constante busca da melhoria, pois sempre se pode aprimorar o processo educacional, principalmente na troca de informações, sugestões e ajustes nas posturas de todos de modo geral.
O Conselho de Classe é constituido pelo Diretor(a) e/ou Diretor(a) Auxiliar, pelos Professores Pedagogos e por todos os Professores que atuam numa mesma turma e/ou série.
É responsabilidade da Direção presidir o Conselho de Classe e cabe ao Professor(a) Pedagogo(a) organizar as informações e dados coletados a serem estudados no Conselho de Classe.
1. Meu computador não liga, o que eu faço?

Dê o troco, não ligue para ele também.

2. Ao ligar, o micro custa a carregar. Tem solução?
Sim, carregue seu micro até a lixeira mais próxima.

3. Ao iniciar, a bandeirinha do Windows aparece na tela duas vezes. Para que serve isso?
É um sinal de que você é completamente imbecil e ainda insiste em comprar produtos da Microsoft.

4. O que faço com o botão Iniciar?
Clique nele, depois em desligar, depois em sim para desligar o computador e aguarde. Quando surgir a mensagem “seu computador já pode ser desligado com segurança”, puxe o fio da tomada, enrole no pescoço e aperte bem.

5. Para que serve a opção Acessórios do Menu/programas?
Serve pra você colocar um toca-fitas no seu micro, vidro fumê, roda de liga leve e volante de fórmula 1.

6. Para que serve o botão Documentos do menu iniciar?
Serve pra você tirar sua carteira de identidade, CPF, Titulo de Eleitor e atestado de insanidade mental.

7. E o botão Localizar?
Serve pra você encontrar seu provável pai entre os homens da vizinhança.

8. E o botão Executar?
É ideal pra você aplicar em seu irmão mais novo, que vive mexendo no seu micro.

9. Para que serve o Botão direito do mouse?
Pra você apertar sempre que o botão esquerdo estiver cansado.

10. Como faço para rodar o Word?
Pegue o gabinete e gire-o rapidamente. O Word vai rodar até ficar tonto.

11. Como faço para salvar um documento?
Espere o documento tentar atirar-se pela janela do Word. Então,segure-o com firmeza.

12. Como dou nome para um documento?
Não se preocupe com formalidades. Pode chamá-lo pelo apelido.

13. O Power Point faz apresentações?
Faz, mas é muito tímido. Não espere por ele e apresente-se você mesmo.

14. O que é Correio Eletrônico?
É um sistema que envia o carteiro pela tomada elétrica.

15. O que é homepage?
É uma casa feita com folhas de papel.

16. Por que o site da Microsoft está sempre congestionado?
Porque os técnicos estão ocupados consertando bugs.

17. O que é bug?
É um carrinho que parece um Jeep.

Fonte: http://www.fotocomedia.com/index.php?page=15
Chapeuzinho Vermelho é um antigo conto popular de uma menina que consegue derrotar o lobo mau, a história traz, entre outras, em sua essência textual um enredo de aventura, desobediência, medo, suspense, emoção, afetividade.
No enredo a mãe da menina pede a ela que leve algumas guloseimas para sua vovó doente e que ela não pegue o caminho mais curto porque lá existe o lobo-mau. Despreocupada e desobediente a menina, sem medo, encara o caminho, onde provavelmente o lobo estaria. Enganada pelo lobo-mau, Chapeuzinho acreditando ser ele do bem, conta pra onde está indo e o que vai fazer e o malvado sai correndo na frente para encontrar a vovozinha primeiro e fazer dela seu jantar mas, antes que pudesse fazer da pequena sua sobremesa, ele é pego pelos caçadores que escutam os gritos e salvam a menina e a vovozinha de suas garras.
Chapeuzinho Vermelho é descrita com uma criança desobediente porque contraria as ordens que sua mãe lhe dá para que não passe por outro caminho. Ao mesmo tempo a ingenuidade dela é demonstradas nas situações onde ela é enganada várias vezes pelo Lobo, ainda, o autor faz uma analogia entre o lobo-mau e as coisas ruins que nos acontecem na vida, caso façamos algo que não nos convém ou quando confiamos em quem não conhecemos.
Na narração, a floresta é lugar que dá uma conotação de aventura e suspense, lugar que precisamos passar mas oferece riscos e precisamos estar atentos aos perigos. Essa ideia é fortalecida com a letra da música que a menina sai cantando pela estrada: “Pela estrada a fora eu vou bem sozinha, levar esses doces para a vovozinha. Ela mora longe e o caminho é deserto, onde o Lobo-mau passeia aqui por perto. Mas a tardinha, ao sol poente, junto a mamãezinha dormirei contente.”
A música é o enredo da história e dizendo como deveria ser no final, contando o que a menina vai fazer, o perigo que corre e o que devia acontecer.
Num clima de tremenda expectativa no que vai acontecer com Chapeuzinho, a cena termina num final feliz que passou por muitas dificuldades.
É claro o objetivo da história em focar os valores como obediência, respeito aos mais velhos, aos animais e às diferenças, além de humildade, amor fraternal, generosidade, compaixão, lealdade e isso é feito ao introduzir múltiplos símbolos e ideias personificadas nos personagens e situações descritas.
É interessante observar, a convergência para o sentido de identidade social e cultural que permeia esse conto, a motivação do imaginário infantil e a sensibilização afetiva, levam a uma aprendizagem do Certo e o Errado, por esse motivo, as versões contadas modificam-se no decorrer dos séculos, evidenciando de que forma as verdades humanas mudam.
Enfim, como a maioria das fábulas infantis, a historinha de Chapeuzinho Vermelho traz uma conotação moral, valorizando a importância de obedecer aos pais e entre outras, a generosidade para com os mais velhos, a inocência da menina ao se deparar com o lobo-mau e mesmo não o reconhecendo quando ele estava se passando pela velinha, o suspense criado quando ela vai perguntado para que servia cada parte dos órgãos enormes que ele tinha (nariz, orelha, olhos e boca), o medo de que ela seja comida pelo lobo-mau e a emoção de ser resgatada pelos caçadores. Todas essas emoções, valores e sentimentos são descritos para ensinar, convencendo a quem está apreciando a história do que é apropriado e inconveniente.
Certa  vez  um  caçador  contratou  um feiticeiro para ajudá-lo a conseguir alguma coisa que pudesse lhe facilitar o trabalho nas caçadas.
Depois  de  alguns  dias o feiticeiro lhe entregou uma flauta mágica que ao ser tocada enfeitiçava os animais, fazendo-os dançar; desse modo, o caçador teria facilitado a sua ação.
Entusiasmado com o instrumento, o caçador organizou uma caravana convidando dois outros amigos caçadores para a África.
Logo no primeiro dia da caçada, o grupo se deparou com um feroz tigre e de imediato o caçador pôs-se a tocar a flauta e, curiosamente, o tigre que já estava próximo de um de seus amigos começou a dançar e foi fuzilado à queima roupa.
Horas depois um sobressalto. A caravana foi atacada por um leopardo que saltava de uma árvore. Ao som da flauta, contudo, o animal transformou-se, ficou manso e dançou. Os caçadores não hesitaram e o mataram com vários tiros. E  foi  assim, a flauta sendo tocada, animais ferozes dançando, caçadores matando. 
Ao final do dia, o grupo encontrou pela frente um leão faminto. A flauta soou, mas o leão não  dançou, ao contrário, atacou os amigos do caçador flautista, devorando-o. Logo depois, devorou o segundo. O tocador de flauta, desesperadamente, fazia soar as notas musicais, mas sem resultado algum. O leão não dançava. E enquanto tocava e tocava, o caçador foi devorado. Dois macacos, em cima de uma árvore próxima, a tudo assistiam.
                Um deles observou com sabedoria:
“Eu sabia que eles iam se dar mal quando encontrassem o Surdinho…”.
MORAL DA HISTÓRIA:
·       Não confie cegamente nos métodos que sempre deram certo um dia pode não dar;
·       Tenha sempre plano de contingência;
·       Faça planejamento de suas atividades;
·       Prepare alternativas para as situações imprevistas;
·       Esteja atento às mudanças e não espere as dificuldades para agir;
·       Cuidado com o “leão surdo”.
Como promover uma boa aula
Use a sua criatividade e promova jogos e atividades que ampliarão as possibilidades de LEITURA e ESCRITA .Tome nota das seguintes dicas e procure colocá-las em prática, fazendo as devidas adaptações, conforme a sua realidade:

- Use jogos educativos nas suas aulas.
- Desenvolva atividades lúdicas com seus alunos.
- Procure introduzir cada novo conteúdo de forma diferente.
- Mude a disposição das cadeiras e mesas na sala de aula.
- Faça os alunos participarem das aulas.
- Troque de ambiente e dê aula no pátio da escola, por exemplo.
- Explore cartazes, vídeos, filmes.
- Traga jornais e revistas para a sala de aula.
- Aproveite todo o ambiente escolar.
- Crie aulas diferentes e divertidas.
- Elabore situações problemas para os seus alunos resolverem.
- Busque auxílio nos meios de comunicação.
- Troque experiências com os colegas.
- Valorize as opiniões de seus alunos.
- Peça sugestões aos seus alunos quando for preparar suas aulas.
- Faça trabalhos em pequenos grupos ou grupos sucessivos.
- Solicite uma avaliação das suas aulas aos seus alunos.
- Incentive e estimule a aprendizagem dos seus alunos.
- Deixe transparecer que você acredita e valoriza o seu trabalho.

retirei do blog: http://ailce.blogspot.com/
da professora Alice Rocha





Resgatando o que nos torna humanos

Vivemos em uma era violenta; sofremos violências cada vez maiores e com mais constância; assistimos quotidianamente manifestações de violência... a violência entra em nossas casas, muda nossa vida, nossos valores, nossas famílias, nossos comportamentos.
A violência é um sinal, um sintoma de uma sociedade que não criou apreço pelos valores e acabou formando adultos sem referenciais de cidadania e de respeito pelo próximo.
A violência é a marca de uma sociedade excludente (que exclui em todos os sentidos, até afetivos). A solução, a longo prazo , desses problemas exigem uma verdadeira revolução na maneira de educar nossas crianças.
                 E como fazemos isso?
Há muitos pesquisadores, de variadas áreas de conhecimento, que vêm pensando no humano na atualidade. Existe um educador que há décadas vem tocando a melodia do resgate dos valores humanos básicos, a saber: A VERDADE, A RETIDÃO, A PAZ, O AMOR, A NÃO-VIOLÊNCIA . Ele se chama Sathia Sai Baba e é indiano (MESQUITA, 2003).
Ele propõe que estimulemos esses valores em nossas crianças. Ele afirma, e nós dia a dia comprovamos isso, que à medida que a criança for utilizando a intensa capacidade amorosa que existe dentro dela, germinarão os valores humanos em seu coração, o que se refletirá no comportamento familiar, social e profissional. Independentemente de dificuldades, sofrimentos e decepções que, como todo ser humano, ela encontrar em sua trajetória sobre a Terra, será feliz. Porque felicidade, afinal, não é estar radiante de alegria e de bom humor diariamente, mas permanecer em harmonia com sua natureza humana.
As leis da natureza humana só serão cumpridas quando conseguirmos ser leais à verdade, o que nos levará à retidão, à qual nos proporcionará a paz. Estando em paz, torna-se possível para nós viver e entender o verdadeiro amor incondicional. Com esses valores aflorados, somos capazes de praticar a não-violência, que é a abstenção de ferir o outro pelo pensamento, palavra ou ação.





    

                     Projeto    Resgate  do   Valores Humanos!
[pela_cultura_da_paz.jpg]  

A ONU definiu o conjunto de valores, atitudes, tradições comportamentos e estilos de vida associados à cultura de paz na Declaração e Programa de Ação sobre uma Cultura de Paz, divulgada em 13 de setembro de 1999. Diversas instituições em todo o mundo aderiram a esta declaração e se empenham na concretização destes ideais.
“Uma Cultura de Paz é um conjunto de
valores, atitudes, tradições, comportamentos e estilos de vida baseados:

No respeito à vida, no fim da violência e na promoção prática da não-violência por meio da educação, do diálogo e da cooperação;
No pleno respeito aos princípios de soberania, integridade territorial e independência política dos Estados e de não ingerência nos assuntos que são, essencialmente, de jurisdição interna dos Estados, em conformidade com a Carta das Nações Unidas e o direito internacional;
No pleno respeito e na promoção de todos os direitos humanos e liberdades fundamentais;No compromisso com a solução pacífica dos conflitos; Nos esforços para satisfazer as necessidades de desenvolvimento e proteção do meio-ambiente para as gerações presente e futuras;
No respeito e promoção do direito ao desenvolvimento; No respeito e fomento à igualdade de direitos e oportunidades de mulheres e homens; No respeito e fomento ao direito de todas as pessoas à liberdade de expressão, opinião e informação;
Na adesão aos princípios de liberdade, justiça, democracia, tolerância, solidariedade, cooperação, pluralismo, diversidade cultural, diálogo e entendimento em todos os níveis da sociedade e entre as nações; e animados por uma atmosfera nacional e internacional que favoreça a paz.”

                                                                          
                                                                                         (Fonte: ONU, 2004).