Viajando No Mundo dos Contos de Fada

Viajando No Mundo dos Contos de Fada

sábado, 30 de abril de 2011

Pais e filhos

MISSÃO DOS PAIS

Quando Deus te dá um filho, outorga-te a solene missão de moldar a argila mole, que animou com o milagre de seu sopro divino. Nos sete primeiros anos de vida, tens de dar-lhe forma; dos sete aos quatorze, polimento.
Durante toda a sua vida, tens de depositar em seu interior o líquido da sabedoria e da temperança.
Tens de ensinar-lhe a ser obediente, pontual, disciplinado, pois tais qualidades lhe serão exigidas a todo instante.
Tens de despertar-lhe o amor ao trabalho, às ciências e à leitura, para que ele, sabendo dar, seja útil.
Tens de ensinar-lhe a renunciar, a sofrer com resignação, a crer na justiça divina, a perder e, principalmente, a vencer, para que ele, sabendo receber, possa receber sempre.
Tens de ensinar-lhe o valor do amor, da lealdade, dos sentimentos nobres, para que ele possa conhecer uma vida feliz e significativa.
Tens de despertar-lhe o interesse pelas coisas do céu, para que ele não seja esmagado pelas misérias da terra.
Tens de transmitir-lhe o significado da vida, para que ele não subordine a sua existência ao temor à morte.
Ele é a semente que plantarás. o teu cuidado com ele irá refletir em tua colheita.
Se lhe deres instantes, farás dele um conhecido. Se lhe deres tempo, farás dele um amigo.
Se o quiseres comprar favores materiais, ele verá em ti uma fonte de ganhos fáceis. Se o conquistares com amor, serás para ele um PAI.
"Aquilo que o homem semear, isto também ceifará." Gálatas 6:7
♥♥♥

Oração dos Pais
Senhor, é bom ter um filho,
no entanto, como é difícil criá-lo!
Ajude-nos a acertar Senhor!
Fazei com que nós possamos
compreendê-lo em todas as situações.
Que sejamos pacientes
com suas atitudes.
Justo em todas as situações,
severo se for preciso,
mas que possamos partilhar
de todas as suas alegrias,
diminuir e suavizar as suas tristezas.
Esquecer suas faltas.
Que sua linguagem nos seja fácil.
Que nós aceitemos as suas deficiências,
que ele tenha certeza do nosso apoio,
do nosso amor...
Faz com que ele seja uma pessoa do bem,
e sempre feliz!
E que mais tarde, nós possamos dizer:
- "Obrigado Senhor, nós acertamos..."

♥♥♥

Pai de Todo Jeito...

Tem pai que ama,
Tem pai que esquece do amor.

Tem pai que adota,
Tem pai que abandona,

Tem pai que não sabe que é pai,
Tem filho que não sabe do pai.

Tem pai ...
Tem pai que dá amor.
Tem pai que dá presente,

Tem pai por amor,
Tem pai por acaso,

Tem pai que se preocupa com os problemas do filho,
Tem pai que não sabe dos problemas do filho...

Tem pai ...
Tem pai que ensina,
Tem pai que não tem tempo,

Tem pai que sofre com o sofrimento do filho,
Tem pai que deixa o filho esquecido.

Tem pai de todo jeito
Tem pai que encaminha o filho,
Tem pai que o deixa no caminho,

Tem pai que assume,
Tem pai que rejeita,

Tem pai que acaricia,
Tem pai que não sabe onde está o filho que precisa de carinho.

Tem pai que afaga,
Tem pai que só pensa em negócios.
Tem...
Tem pai de todo jeito.
E você???
Que tipo de pai você é?

Eu quero um pai, apenas um pai que esteja consciente
 do amor que tem para dividir...
Eu quero um pai, apenas um pai que seja AMIGO!
A todos os Pais, um carinhoso abraço!
Deus Pai os abençoe!
(autor desconhecido)

♥♥♥

Presente ...

"Para o meu papai amado
Um presente fui comprar.
Mas, na loja não havia
O amor que quero dar!

- Escute,Papai do Céu
Um pedido que lhe fiz:
Ao meu papai dê saúde
E uma vida feliz!"

♥♥♥

PAI – UM SANTO REMÉDIO
Vide Bula:

APRESENTAÇÃO – PAI vem em embalagens de diversos tamanhos e pesos.

USO – Adulto e pediátrico

COMPOSIÇÃO:
Cada 100 g de PAI possui em média:
*10 g de carinho,
*10 g de compreensão,
*10 g de sinceridade,
*10 g de paciência,
*0,0003 g de broncas e
*50 gr de muito amor com firmeza...

PRAZO DE VALIDADE:
PAI tem prazo de validade indeterminado.

INDICAÇÕES :
Recomenda-se o uso de PAI ,caso sejam verificados sintomas como:
mau humor,
brigas com o(a) namorado(a) ,
decisões importantes,
dúvidas cruéis,
falta de grana,
carência afetiva,
falta de carro,
baixo astral.

CONTRA INDICAÇÕES :
PAI não deve ser administrado em caso de notas baixas.

PRECAUÇÕES:
Este produto pode causar dependência.
Cuidados na interrupção no tratamento (principalmente nas férias).
O uso prolongado de PAI, às vezes parece prejudicial, pode interromper bruscamente o tratamento, inclusive por motivo de viagem. Os primeiros dias de ausência do PAI, parecem maravilhosos. Mas, crises agudas são freqüentemente detectadas.Volte logo ao uso.

POSOLOGIA:
CRIANÇAS E ADOLESCENTES :
Use e abuse de PAI, quanto mais usar, melhor.

ADULTOS :
Não fique acanhado, não é vergonha nenhuma usar o PAI depois de crescido. E lembre-se :PAI é como pijama. Quanto mais velhinho, mais macio fica.

ESTE MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO AO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

Siga corretamente o modo de usar.
Se não desaparecerem os sintomas, procure orientação de MÃE.

(Autor desconhecido)

♥♥♥

SE VOCÊ FOSSE MEU FILHO

Hoje me passou pela cabeça o que faria,
Se você, papai, fosse meu filho...

Se você fosse meu filho, e eu notasse você
Carregado de perguntas e interrogações,
Dialogaria sobre as coisas da vida,
Diria de onde você veio, como nasceu.
Contaria as peraltices da infância.
Falaria do amor de Deus, de Jesus, de salvação...
É tão bom, papai, bater papo com você!

Se você fosse meu filho, e brigasse com a mamãe,
(como eu faço com a irmãzinha às vezes),
vocês fariam as pazes logo, logo.
Obrigariam um ao outro apertar a mão,
Beijar a face, e, num abraço gostoso pedir perdão.

Se você, papai, fosse meu filho,

Não deixaria você comer às pressas.
Sair correndo, quase morrendo.
Eu quero ver você bem bonito, bem gordinho.
Eu quero ver você ficar velhinho!

Se você fosse meu filho,
Levaria você ao parque, ao jardim.
Compraria pipoca, sorvete, bombom,
Faria tudo para você ficar contente.
Que bom, papai, quando você passeia com a gente!

Se você fosse meu filho, na hora de dormir,
Eu deixaria de ver televisão, iria ao quarto,
Segurar-lhe a mão, fazer oração,
E cantar cantigas de ninar...
É tão gostoso ouvir você cantar comigo,
E dizer em oração: Papai do céu...

Ah! Eu gosto tanto, tanto de você.
Que eu gostaria, papai, de ser seu pai!

Silvino Netto

♥♥♥

Mensagem
"Neste dia, papai
Eu quero, de coração,
Dar-lhe um beijo e um abraço
Em sinal de gratidão.
Neste domingo de agosto,
Com todo afeto e carinho,
Quero abraçar, com amor,
Meu querido Papaizinho.
Ao Papai de coração
Eu desejo, neste dia
Muitos anos de existência
Saúde, paz e alegria!"

♥♥♥

Que tipo de pai você é?

Exator = faz cobranças minuciosas de tudo.
Xerox = o filho tem que ser sua cópia perfeita.
Expositor = exibe o filho como um produto numa feira.
Autocrata = em casa, quem decide, sou eu.
Frustrador = corta, pela raiz, qualquer iniciativa.
Caxias = se a lei existe, é para ser cumprida.
Chantagista = se não fizer isto, é porque não me ama.
Irresponsável = resolva isto com sua mãe.
Comerciante = só te dou isto, em troca daquilo.
Desligado = ignora tudo o que diz respeito ao filho.
Inseguro = quem sabe, pode dar tudo errado.
Provedor = tranquiliza-se dando coisas ao filho.
Permissivo = o filho pode fazer tudo o que quiser.
Proprietário = o filho é meu e faço dele e com ele o que quero.
Promotor = sempre encontra algo para acusar o filho.

Educador = ajuda a desabrochar o adulto que está na criança.
Formador = leva a sério a formação integral do filho.
Democrata = dialoga para chegara um consenso.
Disponível = reserva um tempo precioso para o filho.
Observador = acompanha atento as etapas do desenvolvimento do filho.
Previdente = prepara o filho para aprender com os fracassos porvir.
Agradecido = reconhece no filho um presente de Deus, aos seus cuidados.
Libertador = alerta que a verdadeira liberdade é um bem que se conquista.
Responsável = paga o preço de nunca ser omisso.
Religioso = revela que a vida não se limita aos horizontes terrenos.
Paciente = ensina que a maturidade não acontece sem tropeços.
Esperançoso = acena para a luz, que está sempre no fim do túnel.
Corajoso = enfrenta os combates pelo sentido da vida.
Prudente = orienta a fazer os passos, de acordo com as pernas.
Realista = prepara o filho para viver muito além dos limites da família.

Fonte: Pe. Bolivar Hauck, MS (Infomativo Salette, Ano XVI - Nº 135 - Agosto de 2003)
♥♥♥

Ser pai é ser...
Marcos Leandro

Ser pai é ser criança,
aprendendo e vivendo sempre coisas novas e boas
Pois só assim é que se cresce

Ser pai é ser filho,
seguindo e trilhando os rumos traçados pelos pais
Pois eles só querem o nosso bem

Ser pai é ser irmão,
sendo um pai dos filhos mais novos e mais velhos
Pois desta maneira se treina para paternidade

Ser pai é ser amigo,
compreendendo e ajudando os amigos que precisam de um pai
Pois eles retribuirão com gratidão

Ser pai é ser avô,
observando e encaminhado os filhos a serem bons pais
Pois eles conseguirão a maturidade

Ser pai é ser mestre,
espalhando a sabedoria e seus conhecimentos
Pois é assim que se constrói um mundo melhor

Ser pai é ser pai,
orientando e encaminhado os filhos a seguirem o bom caminho
Pois só assim se obtém a felicidade

Ser pai é ser como Cristo,
educando e praticando seus ensinamentos
Pois é assim que se conquista a benção de Deus.

♥♥♥

Meu Filho

Eu lhe dei a vida, mas não posso vivê-la por você.
Posso ensinar-lhe muitas coisas, mas não posso fazer com que aprenda.
Posso ensinar-lhe o caminho, mas não posso estar lá para indicar-lhe.

Posso dar-lhe liberdade, mas não posso ser responsável por ela.
Posso levá-lo à Igreja, mas não posso fazer com creia em Deus.
Posso ensinar-lhe a distinguir entre certo e errado, mas não posso decidir por você.

Posso comprar-lhe roupas lindas, mas não posso fazer com que fique bem nelas.
Posso oferecer-lhe um conselho, mas não posso aceitá-lo por você.
Posso dar-lhe amor, mas não posso forçá-los a amar.

Posso ensinar-lhe como ser bom, mas não posso forçá-lo a ser bom.
Posso avisá-lo sobre seus amigos, mas não posso escolhê-los por você.
Posso contar-lhe sobre fatos da vida, mas não posso construir a sua própria reputação.

Posso avisar-lhe sobre o mal que a bebida acarreta, mas não posso dizer não por você.
Posso avisá-lo sobre as drogas, mas não posso impedi-lo de usá-las.
Posso falar-lhe sobre metas a serem alcançadas, mas não posso alcançá-las por você.

Agora é sua vez de agir.

Fonte: Pais e mães do “Amor Exigente” http://www.loreto.org.br/ago_pais.asp


Assembléia da Carpintaria

                                     ASSEMBLÉIA NA CARPINTARIA

                                            

                                       Quem é o maior?

     Contam que na carpintaria houve uma vez uma estranha assembléia. Foi uma reunião de ferramentas para tirarem suas diferenças.O Martelo exerceu a presidência, entretanto lhe foi notificado que teria que renunciar.
   Por quê? Perguntou o martelo. Fazia demasiado ruído! E também, passava o tempo golpeando. O Martelo aceitou sua culpa, mas pediu que também fosse expulso o parafuso. Disse que ele necessitava dar muitas voltas para que servisse para alguma coisa.

    Ante ao ataque, o parafuso aceitou também, mas, por sua vez, pediu a expulsão da Lixa. Fez ver que era muito áspera em seu tratamento e sempre teria atritos com os demais.A Lixa esteve de acordo, mas com a condição de que também fosse expulso o Metro, que sempre ficava medindo os demais segundo sua medida, como se fora o único perfeito.Nisso entrou o Carpinteiro, pôs o avental e iniciou o seu trabalho. Utilizou o Martelo, a Lixa, o Metro e o parafuso. Finalmente, a grosseira madeira inicial se converteu em um lindo móvel.Quando a carpintaria ficou novamente só, a assembléia recomeçou a deliberação. Foi então que tomou a palavra o Serrote, e disse:

Senhores, se há demonstrado que todos temos defeitos, entretanto o carpinteiro trabalha com nossas qualidades. Isto é o que nos faz valiosos. Assim, não pensemos
sobre nossos maus pontos, e nos concentremos na utilidade de nossos pontos bons.

A assembléia concordou, então, que o Martelo era forte, o parafuso unia e dava força, a Lixa era especial para afinar e limar asperezas e observaram que o Metro era preciso, exato. Sentiram-se, então, como uma equipe capaz de produzir móveis de qualidade. Sentiram alegria por poderem trabalhar juntos.

    Ocorre o mesmo com os seres humanos. Observe e o comprovará. Quando em uma empresa as pessoas buscam pequenos defeitos nos demais, a situação se transforma em tensa e negativa. Ao contrário, quando se busca com sinceridade os pontos fortes dos demais, florescem as melhores conquistas humanas.

Temos grande habilidade de apontar o dedo e encontrar defeitos nos outros; Qualquer um pode fazer isto, Contudo, encontrar qualidades... Isto é para os sábios!!!!
Maior é o dom do amor: "Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor". (I Coríntios 13:13).
Deus tem maior sabedoria que nosso enganoso, pobre e miserável coração. "Sabendo que, se o nosso coração nos condena, maior é Deus do que o nosso coração, e conhece todas as coisas". (I João 3:20).
Temos uma grande falha, que sempre a denominamos "humana", a de sempre querer ser o maior ou o melhor nisto ou naquilo. Até mesmo os discípulos na época de Jesus queriam saber aos olhos de Cristo quem era, dentre eles, o maio. Jesus em sua tão
grande sabedoria sempre tinha uma resposta: "Naquela mesma hora chegaram os discípulos ao pé de Jesus, dizendo: Quem é o maior no reino dos céus? E Jesus, chamando um menino, o pôs no meio deles, e disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como meninos, de modo algum entrareis no reino dos céus. Portanto, aquele que se tornar humilde como este menino, esse é o maior no reino dos céus". (Mateus 18:1-4).

Como motivar seu aluno a produzir textos:

Como motivar seu aluno a produzir textos:

☺ Relatos do dia-a-dia;
☺ Notícias da comunidade;
☺ Notícias de jornais e revistas;
☺ Acontecimentos importantes;
☺ Gravuras;
☺ Textos principiados;
☺ Textos em rodinhas;
☺ Textos coletivos;
☺ Textos em dupla;
☺ Livros lidos;
☺ Revistas em quadrinhos;
☺ Debates;
☺ Cartas, bilhetes, avisos;
☺ Relatórios;
☺ Músicas;
☺ Poesias;
☺ Trabalho com sucatas, desenhos, pinturas, origamis, maquetes

Hipótese de leitura

Hipóteses de Leitura


Contribuições à Pratica Pedagógica
(Texto elaborado pela Equipe Letra e Vida-CENP)

Hipóteses de Leitura

Hoje é possível saber que, assim como as hipóteses sobre como se escreve são contribuições originais das crianças, a distinção entre o que está escrito e o que se pode ler também resulta de uma elaboração do aprendiz. Isso não significa que as informações recebidas tanto dentro como fora da escola deixem de ter um papel nesta construção, e sim que a compreensão de que se escreve cada seguimento do que se fala, por exemplo, não é passível de transmissão direta nem é, como se pensava, evidente por si mesma.

Mas o que, de fato, saber sobre a distinção entre o que está escrito e que se pode ler elaborada pelo aprendiz contribui para a prática pedagógica?
As informações sobre as “ hipóteses de leitura” indicam que:

1- As idéias dos alunos sobre o que está escrito e o que se pode ler evoluem de acordo com as oportunidade de contato com a escrita; portanto, promover variadas situações de leitura- em que os alunos participem de forma ativa, ou testemunhem atos de leitura e escrita como parte interessada- favorece a conquista da correspondência exaustiva entre os seguimentos do enunciado oral e os seguimentos gráficos.

2- Ler em voz alta uma oração ou um texto marcado oralmente de forma artificial as fronteiras de cada um dos seguimentos escritos, ou solicitar que os alunos pintem os espaços entre as palavras (como se eles tivessem dificuldades para perceber o “vazio” que separa graficamente as palavras) não garante sua compreensão de que tudo o que foi dito deve estar escrito, e escrito na mesma ordem emitida. As informações fornecidas pelo professor são processadas pelo aprendiz de acordo com suas próprias concepções. Em outras palavras: os alfabetizandos não possuem problemas de percepção quando não compreendem esse fato tão óbvio ao olhar alfabetizado - o de que tudo o que se diz deve estar escrito na mesma ordem da emissão. Mas a conceitualizaçã o que possuem ainda não dá conta da questão, e avançarão na medida em que tiverem oportunidade de participar em situações de aprendizagem que demandem refletir sobre o que deve estar escrito em cada “ pedaço” dos textos.

3- Oferecer textos que os alunos conhecem de cor ( parlendas, poesias, canções, quadrinhas etc) e solicitar que acompanhem a leitura indicando com o dedo costuma ser uma boa situação para que possam reorganizar suas idéias sobre o que está escrito e o que se pode ler. Solicitar que localizem neses textos determinados substantivos, adjetivos, verbos e até “partes pequenas” – artigos, preposições etc- pode ser uma boa intervenção por parte do professor. Por exemplo, ao realizar uma atividade de leitura de uma quadrinha ou canção que as crianças sabem de cor, é interessante que, enquanto elas vão dando conta de localizar as palavras que acreditam estarem escritas, o professor vá propondo a localização de outras mais “difíceis”. Obseve a quadrinha abaixo:

PIRULITO QUE BATE BATE
PIRULITO QUE JÁ BATEU
QUEM GOSTA DE MIM É ELA
QUEM GOSTA DELA SOU EU

Além de pedir para localizar “pirulito” e de perguntar com que letra começa ou termina, é possível propor inúmeras questões para os alunos pensarem. Pode-se notar que há inúmeras palavras repetidas. Para crianças que ainda não avançaram muito em direção á idéia de que tudo o que se lê precisa estar escrito, isso soa absurdo. Mas, como as dificuldades são de ordem conceitual, e não perceptual, salta-lhes aos olhos que existem vários “pedaços” idênticos. Mais precisamente cinco pares. Quatro se repetem na mesma posição, no verso seguinte e um (Bate) no mesmo verso. Apoiar o esforço dos alunos para descobrir o que está escrito em cada par e em cada um dos outros pedaços é a tarefa do professor. Lançando uma questão de cada vez, analisando as respostas para formular a seguinte e, dialogando, ir avançando com eles.

4- O trabalho com listas ( de animais, brincadeiras preferidas, ajudantes da semana etc) também é adequado na fase inicial da alfabetização, pois além de ser um tipo de texto que vê de encontro à idéia das crianças de que só os nomes estão escritos, permite que elas, diante de uma situação de leitura de lista, antecipem o significado de cada item, guiadas pelo contexto((animais, brincadeiras etc) e, na situação de escrita de lista, concentrem na palavra e reflexão sobre quais letras usar, quantas usar, em que ordem usar.

5- Iniciar a alfabetização pelas vogais e palavras como “ ovo, uva, pé, em lugar de facilitar, pode acabar dificultando a aprendizagem dos alunos. Essa escolha didática desconsidera que, no início de seu processo, os alfabetizandos acreditam que palavras com poucas letras não podem ser lidas. Portanto, centrar a fase inicial da alfabetização em atividades com esse tipo de palavras- tidas como fáceis- significa caminhar na contramão das idéias dos aprendizes.

6- O conhecimento das “hipóteses de leitura” n ao deve se transformar em um recurso para categorizar os alunos, mas sim estar a serviço de um planejamento de atividade que considere as representações dos alunos e atenda suas necessidades de aprendizagem.

7- É preciso cuidado para não confundir hipóteses de leitura com estratégias de leitura: são coisas diferentes. As idéias que as crianças têm a respeito do que está escrito e do que se pode ler, isto é, as hipóteses de leitura, são de natureza conceitual. Já as estratégias de leitura- antecipação, inferência, decodificação e verificação- são recursos que os leitores- todos, tanto os iniciantes como os competentes- usam para produzir sentido enquanto lêem um texto. São estratégias de natureza procedimental, o que significa que são constituídas e desenvolvidas em situações de uso.

8- É fundamental desfazer um equívoco generalizado. Muitos professores pensam que as conhecidas hipóteses de escrita- pré-silábica, silábica, alfabética- são também hipóteses de leitura. Não há fundamento para dizer que um aluno é, por exemplo, sil´bico na leitura. É importante que os professores compreendam que, quando um aluno escreve IOA e, solicitado a ler, aponta I ( para PI), O ( para PO), A ( para CA), ele está explicando o que pensou enquanto escrevia. Está explicando sua hipótese de escrita. Está justificando sua escrita. O que poderíamos chamar de hipóteses de leitura são as soluções que o aluno produz quando solicitado a interpretar um texto escrito por outra pessoa, como é possível observar no programa O que está escrito e o que se pode ler.