terça-feira, 10 de janeiro de 2012

PROJETO CONHECENDO O LIXO


PROJETO CONHECENDO O LIXO
FAIXA ETÁRIA: 6 ANOS
PROFESSORAS: CARLA E CINTIA
PERIODICIDADE: SEMANAL
ÁREA DO CONHECIMENTO: CIÊNCIAS DURAÇÃO: 3 MESES
JUSTIFICATIVA
No bairro onde a escola está localizada existe um ECOPONTO(conteiners apropriados e devidamente identificados para coleta seletiva do lixo) através do qual é realizada a COLETA SELETIVA DE LIXO, porém percebe-se que a comunidade tem dificuldade em realiza-la e utilizar o ecoponto de forma correta. Pretendemos com este trabalho, desenvolver nos alunos e conseqüentemente em todos do seu convívio, o interesse, a importância e a necessidade em realizar este tipo de coleta do lixo, tanto para posterior reciclagem do material,quanto para que este procedimento se torne instrumento de efetiva atuação local.
OBJETIVOS:
Compreender que os problemasª ambientais interferem na qualidade de vida das pessoas; Possibilitar aosª alunos oportunidades para que modifiquem atitudes e práticas pessoais através da utilização do conhecimento sobre o meio ambiente, adotando posturas na escola, em casa e em sua comunidade que os levem a interações construtivas na sociedade; Conscientizar o aluno para a necessidade de pensar no problemaª do lixo, nas formas de coleta e destino do mesmo, na reciclagem, nos comportamentos responsáveis de “produção” e “destino” do lixo, na escola, em casa e espaços em comum.
CONTEÚDOS:
Manutenção e preservação dos§ espaços coletivos e meio ambiente; Coleta seletiva de lixo; Reciclagem de materiais; Estudo do meio.
RECURSOS E MATERIAS:
Livros didáticos e paradidáticos sobre o assunto;
• Audiovisual sobre o lixo e a reciclagem;
• Passeio pedagógico ao Centro de Ecologia e Cidadania;
• Lixeiras seletivas nas salas.
ETAPAS PREVISTAS:
Roda de conversa para apresentação do projeto; Compartilhar objetivos e produto final;
Levantamento dos conhecimentos prévios dos alunos sobre o assunto através de questionamentos orais com registro(realizado pela professora) das informações levantadas;
Livro de história sobre reciclagem e registro( dos alunos) através de desenho – ½ folha de sulfite;
Roda de conversa sobre o estudo do meio(passeio à praça para visita ao ecoponto instalado no bairro) e necessidade da autorização dos pais para este passeio;
Estudo do meio (visita ao ecoponto);
Registro do passeio através de um texto coletivo onde a professora desempenhará o papel de escriba;
Leitura do livro “COELHOS” que trata especificamente dos conteiners para a coleta;
Colocação das lixeiras nas salas;
Roda de conversa sobre especificidades de cada contêiner para coleta seletiva;
Recorte e colagem de cada tipo de material em seu respectivo contêiner;
Roda de conversa sobre a coleta seletiva em espaços da escola (lanche, secretaria, sala de aula, cozinha…);
Coleta seletiva no lanche; Texto coletivo sobre a coleta seletiva do lixo;
Audiovisual com debate;
Trazer um material de casa “limpo” para ser reciclado na escola – colocação nas respectivas lixeiras;
Passeio ao Centro de Ecologia e Cidadania; Apreciação dos registros com fotos e desenhos; Montagem do painel;
Apresentação do resultado do projeto  para as outras turmas.
De início cabe esclarecer que estas práticas não podem ser estanques, mas devem estar inseridas nas diferentes formas de trabalho na rotina escolar. Outro ponto fundamental é o de cada docente inserir a visão ambientalista aos conteúdos e temáticas a serem desenvolvidos durante o período letivo.
Muitos educadores apresentam dificuldades ou, até mesmo, uma certa resistência quanto à inserção da Educação Ambiental em suas práticas educacionais, em suas atividades rotineiras. Isto se deve ao fato de termos poucas referências sobre práticas educativas ambientalistas. Com esta falta de referenciais, as professoras, em geral, sentem-se “perdidas” em relação à Educação Ambiental.
Inserir a Educação Ambiental às atividades escolares rotineiras nada mais é do que tomar como foco principal de toda e qualquer atividade, a questão ambiental que esteja inserida no contexto do conteúdo que está sendo desenvolvido.
Atividade 1 – Discutindo sobre o lixo
a) Formação de um grande grupo em círculo;
b) Exposição de lixo seco no meio do grande grupo (o lixo deverá ter materiais que se sub-agrupem e que contenham o mesmo número que os participantes, por exemplo: 5 tampas plásticas, 5 garrafas PET, 5 caixas de suco longa vida, 5 potes de vidro, 5 copos descartáveis).
c) Inicia-se a aula com um texto reflexivo sobre lixo, de escolha da professora, podendo ser uma notícia, artigo ou história sobre o assunto “Lixo”.
d) Propor a observação do lixo que está à frente, no centro do grupo;
e) Cada participante é convidado a escolher um dos elementos do lixo;
f) Distribuição em grupos de acordo com o lixo escolhido – o grupo das tampinhas, o grupo das garrafas, etc…
g) Levantar as seguintes questões para análise em grupo:
- Tempo de decomposição;
- Impacto causado pela produção da embalagem;
- Análise do rótulo da embalagem;
- Qual o slogan do produto e apelo publicitário;
- Qual seria a opção para a reutilização do material.
Atividade 2 – Confecção de cartões com sucata:
a) Apresentar diversos tipos de lixo de papel e papelão: revistas, jornais, caixas de embalagens, caixas de papelão…
b) Cada participante escolhe materiais para elaborar um cartão ambiental utilizando técnicas sugeridas pela professora: – Dobradura;  - Recorte e colagem;  - Rasgadura…
c) Confecção do cartão propriamente dita;
d) Exposição e relato da confecção do cartão ao grande grupo;
Atividade 3 – Confecção de máscaras com massa de papel
a) Preparo da massa de papel para modelar: liquidificar o papel picado – para cada três punhados de papel picado, meio copo do liquidificador com água – bater e despejar em uma bacia e ir fazendo até ter bastante polpa. Espremer o excesso de água e adicionar uma colher de
sopa de cola ou grude para cada “bolo” de massa de papel espremido e ir colocando em uma bacia. Quando tiver massa suficiente, é só começar a confeccionar a máscara.
b) Para confeccionar a máscara, fazer uma bola de papel jornal amassando várias folhas até formar uma esfera de forma ovalada. Sobre esta esfera, confeccionar a máscara.
c) Dias depois a máscara estará seca e poderá ser pintada, de preferência com tinta plástica ou acrílica.
d) Pode ser sugerida a confecção de potes, formas geométricas, além das máscaras, com os mesmos procedimentos.
Atividade 4 – Confecção de mini-hortinhas com garrafas pet
Materiais necessários: garrafas pet, tesoura, terra, mudinhas ou sementes.
Procedimentos: Deite a garrafa pet e corte um dos lados da “barriga” da garrafa, sem atingir o fundo nem a boca da garrafa. Faça pequenos furinhos no fundo e coloque terra. Em seguida, plante as sementes ou as mudas e é só cultivar com cuidado. Como suporte podemos usar caixas de ovos para que não fiquem diretamente no chão e, de tempos em tempos, estes suportes poderão ser substituídos, pois podem apodrecer com a umidade que escorre do excesso da água pelos furinhos da garrafa.
Atividade 5 – sugestões de materiais didáticos gerais com sucata:
- Fantoches com caixas, massa de papel jornal, bolas de jornal forradas com meia de nylon, pés de meias velhas
-Os fantoches podem ser confeccionados utilizando os materiais já citados para formar a cabeça do personagem. Utiliza-se retalhos de tecido para o corpo dos fantoches. O fantoche com vara pode ser feito utilizando copinhos de iogurte, sacos de papel, caixinhas.
- Livros com cartolina usada ou papelão de caixas contendo: gravuras, números e respectivas quantidades, materiais naturais para tato (areia, folhas, raízes…), linhas e formas geométricas.
- Brinquedos com caixas, garrafas plásticas, embalagens em geral – bilboquês, carrinhos, chocalhos, caixas enfeitadas.
- Cartazes com cola (ou grude) com pó de café passado seco, areia, serragem.
- Quebra-cabeças com gravuras de jornais ou revista.
- Mini-hortinhas com garrafas descartáveis.
- Jogo de boliche com bolas de meia e garrafas descartáveis.
- Televisão de caixa de papelão.
- Marionetes com a parte interna do rolo de papel higiênico.
Atividade 6 – Atividade criadora – Confeccionar brinquedos com sucata
Disponibilizar para os alunos sucatas em geral (lixo seco limpo) bem como materiais básicos como cola, tesoura, arame, cordão, etc., e deixá-los livres para criarem brinquedos com sucata. Depois, realizar uma exposição.
Fonte: Projeto Apoema – Educação Ambiental
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
ABRAMOWIICZ, Anete; WAYKOP, Gisela. Educação Infantil Creches – Ativo de crianças de 0 a 6 anos. ed.Moderna.1999.
CRADY, Carmen; KAERCHER, Gladis. Educação Infantil. Pra que te quero? Porto Alegre, Artemed,2001.
BRASIL, MEC/SEF. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil: introdução. V. 1, Brasília, 1998.
HEINECK, Alba Maria Souza. 
O planejamento na educação infantil. In: ROMAN, Eurilda Dias; STEYER, Vivian Edite (orgs.). A criança de 0 a 6 anos e a educação infantil: um retrato multifacetado. 1. ed. Canoas: Ulbra, 2001.
MENEGOLA, Maximiliano; SANT’ANNA, Ilza Martins. Por que planejar? Como Planejar? 12. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.
ZABALZA, Miguel A. trad. Beatriz Affonso Neves. Qualidade em Educação Infantil. Porto Alegre: Artmed, 1998.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário