terça-feira, 22 de maio de 2012

Tema Afro-descendente

PROJETO: CULTURA AFRO – BRASILEIRA


II SEMESTRE – 2010



COLÉGIO MUNICIPAL ERNESTO QUEIROZ

EDUCADORA DE APOIO: LUCIENE PINTO SIMÕES IZIDRO

ÁREA DO CONHECIMENTO: HISTÓRIA



JUSTIFICATIVA

No mundo contemporâneo o sistema educacional brasileiro, tem enfrentado processos constantes de mudanças estruturais e conceituais, por conta das exigências sociais, que desejam uma educação de resultados positivos e práticos para o dia-a-dia. Uma educação que prepare para a diversidade e autonomia na construção do conhecimento, bem como, dos saberes constantes de aprender a aprender.

O Projeto Cultura Afro – brasileira tem o propósito de atender a lei Nº 10.639/03 que alterou a lei de diretrizes e bases (LDB) e instituiu as Diretrizes Curriculares para a sua execução. A lei acima citada determina a obrigatoriedade do ensino da história da África e dos africanos no currículo escolar das seguintes modalidades de ensino: Fundamental e Médio. A decisão oriunda da lei faz um resgate histórico da colaboração dos negros na estruturação e construção da sociedade brasileira.

O projeto propõe palestras acerca da identidade cultural destacando as diferenças culturais.

Visa ainda, o reconhecimento e a valorização da identidade, como também da cultura e da história dos negros brasileiros.



HABILIDADES

- Identificar as disparidades entre brancos e negros na sociedade;

- Identificar e analisar criticamente os elementos geradores das diferenças raciais;

- Localizar por meio de pesquisas a história dos povos formadores

Da sociedade brasileira, destacando suas etnias e culturas;

- Perceber a necessidade de intervir positivamente para a erradicação das desigualdades raciais;

- Respeitar os direitos humanos e fundamentais do cidadão.



CONTEÚDO



- Relações Étnico - raciais.



SITUAÇÕES DIDÁTICAS

- Contextualização sócio - cultural, situando acontecimentos históricos de outras épocas, enfatizando os manifestos sociais, assim como seus significados;

- Investigação e pesquisa para atuar de maneira positiva no processo de reconstrução da memória social. Utilizando entrevistas, relatos, questionários, documentários e outros;

- Reprodução de atividades estimuladas pelas diversas fontes de trabalhos (revistas, jornais, pesquisa na internet, filmes, fotografias, entre outros) desde que materialize o tema em estudo.



ESTRATÉGIA

- Produção de textos, a partir das informações colhidas pelo educador;

- Palestras;

- Debates;

- Oficinas;

- Seminários;

- Danças;

- Lutas;

- Atividades lúdicas;

- Jogos;

- Brincadeiras.



AVALIAÇÃO

Será realizada de forma contínua, mediante exercícios e apresentações em sala de aula.
 
 
PROJETO "CULTURA AFRO-BRASILEIRA"



1.1-TEMA – CULTURA AFRO-BRASILEIRA

1.2- Executor- EE. de Ensino Médio Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

1.3- Endereço- Rua dos Imigrantes

1.4- Município- Vitória das Missões

1.5- Período de execução- ano de 2009

1.6- Abrangência- Educação Infantil- Séries iniciais e finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio

1.7- Coordenação- Professores das Séries Iniciais, Professores da área de Estudos Sociais e Comunicação e Expressão, juntamente com a Coordenação pedagógica da Escola e Equipe Diretiva

1.8- Participação – Todos os Professores , Funcionários e alunos da Escola



2- JUSTIFICATIVA:



Para promover a releitura da História do mundo africano, sua cultura e os reflexos sobre a vida dos afro-brasileiros em geral, rompendo com o modelo vigente na sociedade brasileira, garantindo a cidadania e a igualdade racial.

A Lei em si não basta, é preciso que modifiquemos o ensino-aprendizagem para que tenhamos um resultado eficaz, valorizando conhecimentos dessa cultura, fazendo acontecer mudanças necessárias.

Aprendemos a História dos outros, ou parte dela, no entanto a cultura universal inclui feitos Afros de grande importância, entretanto, estes são desconhecidos ou desprezados pela educação brasileira. Uma sociedade democrática e justa, inclui todos os setores da população, não admitindo a existência de distorções, diferenças ou dominação.



3- OBJETIVOS GERAIS:



1- Romper com o modelo pedagógico vigente, incluindo afro-brasileiros na condição de decisório para a construção da sociedade.

2- Proporcionar condições a alunos e professores de apropriarem-se de novos saberes sobre a cultura Afro-brasileira.

3- Promover uma nova visão da História dos Africanos do período colonial, com seus reinados e impérios, sua cultura e os reflexos sobre a vida do afro-brasileiro em geral.

4- Garantir ao Afro-brasileiro a construção de sua personalidade com referência em outros negros.

5- Proporcionar condições ao Afro-brasileiro promover a cidadania e igualdade racial, alcançáveis por meio de uma pedagogia multiracial.



4- OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
1- Identificar tempo e espaço da origem dos grupos africanos que vieram para o Brasil.

2- Reconhecer que o tráfico humano foi uma atividade fundamental para o capitalismo mercantilista.

3- Reconhecer que o Brasil foi o País que mais importou escravos negros.

4- Perceber os diferentes tipos físicos entre os africanos.

5- Perceber os diferentes tipos de religiões, costumes e línguas.

6- Constatar as diferenças e semelhanças de vida entre afro-brasileiros e negros de outros países.

7- Despertar para a africanicidade brasileira em manifestações na arte, esportes, culinária, língua, religião, como elementos de formação da cidadania.

8- Reconhecer o papel do negro na definição e na defesa do território, os Quilombos rurais e urbanos, o negro na periferia e na questão da posse de terras.

9- Despertar para a questão do trabalho no campo e na cidade.

10-Proporcionar condições para o conhecimento sobre questões relativas a saúde e doenças.

11-Comparar o relacionamento entre africanos na era pré-colonial, no período de dominação européia e na atualidade.

12-Discutir e conhecer as personalidades negras que deixaram ou estão deixando sua contribuição nos diversos setores da sociedade, como expressões culturais, desportivas, artísticas, políticas, musicais, religiosas etc...



6- AÇÕES DO PROJETO:



1- Questionar os alunos sobre o que sabem, que idéias e opiniões, dúvidas ou hipótese sobre o tema em debate, valorizando seus conhecimentos.

2- Propor novos questionamentos.

3- Fornecer novas informações.

4- Desenvolver atividades com diferentes fontes de informações em livros, jornais, revistas, filmes, fotos, visitas, passeios e confrontar dados e abordagem.

5- Trabalhar com documentos variados, edificações, plantas urbanas, mapas, instrumentos de trabalho, rituais, adornos, meios de comunicação, vestimentas, textos, imagens e filmes.

6- Ensinar procedimentos de pesquisa, consulta em fontes bibliográficas, organização de informações coletadas, como obter informações de documentos, como proceder em visitas e estudos.

7- Promover estudos e reflexões sobre diversidade de modo de vida e de costumes dos afros brasileiros.

8- Promover estudos e reflexão sobre a presença na atualidade de elementos afro brasileiros na localidade.

9- Debater questões do dia- a- dia dos afros brasileiros.

10- Propor estudos sobre a diversidade étnico racial da comunidade e suas relações.

11- Construir com os alunos: resumos orais, em forma de textos, gráficos, linha de tempo, criação de brochuras, murais, teatros, danças, coreografias, comidas, vestimentas, instrumentos utilizados no trabalho, nos rituais, nas danças, exposições e estimular a criatividade expressiva.

12- Propor pesquisa específica envolvendo rituais e superstições hoje concebidas que percorreram tempo e espaço na sociedade brasileira envolvendo a etnia afro brasileira.

13- Propor pesquisa científica envolvendo a culinária afro-brasileira e sua inclusão no dia-a-dia do povo brasileiro e em especial da comunidade.

14- Propor a culminância dos trabalhos em forma de feira pedagógica com apresentações de todas as atividades planejadas.


7- AVALIAÇÃO:
Será considerada satisfatória se todas as etapas dessa atividade Temática forem desenvolvidas, de modo a aperfeiçoar a democracia representativa, a construir consciência de igualdade e percebermos que todos cooperativamente podem construir uma sociedade mais fraterna e justa. Também que se consiga organizar a culminância marcada para o dia 27 de novembro de forma a congregar todas as turmas e suas produções.
 
 
Tratar da importância e valorização da cultura negra dentro da escola, criando espaços para manifestações artísticas que proporcionem reflexão crítica da realidade e afirmação positiva dos valores culturais negros pertencentes a nossa sociedade é o que propõe o projeto Um olhar negro, da escola baiana Fred Gedeon.


Um olhar negro

Na escola, valores sociais e morais são reforçados e também é nela que muitos preconceitos são perpetuados de forma quase imperceptível. Portanto é também na escola que se deve propiciar a reflexão crítica sobre esses valores.

A escola sempre pintou a África pobre, sem histórias próprias, com uma população subalterna, sem-cultura e escravizada. Precisamos urgentemente reverter esse quadro. E esse projeto pedagógico surge para tentar tirar do anonimato a verdadeira história da África e de seu povo, bem como abrir um leque de discussões em torno da diversidade cultural existente em nosso país, a fim de que essa diversidade seja respeitada e valorizada.

Assim, dentro da proposta de trabalhar na escola a valorização da cultura afro-brasileira, professores e alunos do Ensino Médio da Escola Estadual Fred Gedeon, de Floresta Azul, na Bahia, envolveram-se na realização de um projeto que busca promover um espaço cultural para trabalhar expressões da arte e cultura negra, desenvolvendo atividades variadas que são abordadas:

- A Capoeira e sua importância - através de demonstrações coreográficas de grupos locais;

- A musicalidade de contextualização negra - com a participação de cantores amadores da escola e do município, com repertório de raízes;

- As coreografias fundamentadas nas raízes negras - com a participação de grupos locais;

- A teatralidade interpretativa de textos da cultura africana - monólogos, poesias etc.

- A beleza negra - com a realização de um desfile para escolha da Beleza Negra do município.

A elaboração e desenvolvimento desse projeto de arte e cultura negra visam a atender dois pré-requisitos básicos: o exercício da cidadania e vivência dos valores através da apropriação da arte e da cultura, como ferramentas necessárias para estar num mundo formado por sociedades que usam o preconceito como instrumento das esferas de diferenças sociais e, ainda, o resgate da herança africana, cuja história fora esquecida e ignorada ao longo do tempo.

O projeto tem por objetivo favorecer o desenvolvimento da expressão corporal, oral e cultural dos alunos, através de momentos de interpretação (monólogos), coreografias, músicas, Capoeira, poesias e a valorização estética negra, para a ampliação dos conhecimentos e formação de hábitos e atitudes fundamentais nos valores éticos. Propõe-se, ainda, dar a conhecer, através de demonstrações culturais e de atividades teatrais e de interpretação alguns aspectos importantes do contexto da escravidão negra, ressaltando os valores que impulsionaram e orientaram a sua vida e a formação de sua identidade. Com este conhecimento, vivenciar e valorizar a cultura negra através da música e da pintura como forma de identificação e resgate da auto-estima do aluno afro-descendente. Através de atividades artísticas, busca-se desenvolver ações transformadoras, projetando o respeito como prática fundamental e essencial para mudar as pessoas e, conseqüentemente, a sociedade.

Genivaldo Pereira dos Santos
 PROJETO: CULTURA AFRO-BRASILEIRA




Cultura Afro – Brasileira



Objetivos:

Conhecer as culturas africanas, suas crenças, religiões, músicas, danças, artes visuais;

Explicar o que representou a escravidão para o povo africano.

Pesquisar como vivem as comunidades quilombolas no Brasil.

Verificar de que forma a cultura africana influência a cultura brasileira.

Analisar a relação entre o negro e o preconceito.

Valorizar a cultura negra e seus afrodescendentes e afro-brasileiros, na escola e na sociedade;

Entender valorizar a identidade da criança negra;

Desmistificar o preconceito relativo aos costumes religiosos e alimentares provindos da cultura africana;



Disciplina: Língua portuguesa:

Propostas de Conteúdos:

· Textos literários;

· Estudo de palavras de origem africana que são comuns em nosso idioma e glossário de termos anti-racistas para construção de dicionários;

· Provérbios africanos contidos nos símbolos;

· Reconto de mitos;

· Contos populares,

· Idiomas



Disciplina: Redação

Propostas de Conteúdos:

Análise /releitura de obras e biografia de artistas, autores e cantores negros;

Produção de poesias / paródias;

Reconto de histórias e ou canções populares preconceituosas ( Boi da Cara Preta).



Disciplina: Inglês

Propostas de Conteúdos:

Tradução de palavras de origem africana que são comuns em nosso idioma e para construção de dicionários, murais ou cartazes;

Letras de músicas do afro-descendente jamaicano Bob Marley e de outros cantores negros e textos em inglês sobre a vida de lideranças como os americanos Malcom X e Martin Luther King.



Disciplina: Historia

Propostas de Conteúdos:

História da África: A identidade afro – brasileira, os reinos da África, colonização e descolonização da África;

Os afro–brasileiros na sociedade;

Quilombos ontem e hoje;

Personagens ilustres negro;

Indumentária



Disciplina: Geografia

Propostas de Conteúdos:

Localização do Continente africano e seus países no Mapa-múndi;

Delimitação no Mapa do Brasil das áreas quilombolas.



Disciplina: Matemática

Propostas de Conteúdos:

Geometria, através das figuras representadas por meio dos símbolos da cultura africana;

Construção de tabelas e gráficos, relacionados aos dados estatísticos de mortalidade da população negra no Brasil;

População negra no Brasil, na Paraíba e no Município, de acordo com o Censo de 2010 / IBGE.

Situações problemas

Receitas / Medidas



Disciplina: Educação Física

Propostas de Conteúdos:

Folguedos e danças afro- brasileiras / instrumentos musicais;

Brincadeiras

Destaque no esporte



Disciplina: Ensino Religioso

Propostas de Conteúdos: Religiões e cultos afro – brasileiro.



Disciplina: Arte

Propostas de Conteúdos:

Canções populares: raggae, jazz, funk, pagode chorinho, rap, samba e outros que abordem o tema.

Confecção de objetos artesanais como máscaras, carrancas, vasos etc;

Confecção de adornos: pulseiras, tornozeleiras, anéis, colares.,

Cores



Disciplina: Ciências

Propostas de Conteúdos:

Culinária africana – receitas

Mamona (mamoeiro, carrapateira ou rícino): Práticas fitoterápica , uso lubrificante e biodiesel.

Saúde população afro – descendente : pressão arterial elevada e anemia falciforme.

Melanina



Estratégias Pedagógicas e atividades:

Leitura;

Declamação de poesias;

Pesquisas;

Exibição de filmes e vídeos: Kiriku e a feiticeira, Kiriku e os animais da floresta, Vista minha pele( discriminação racial da vida de adolescentes), Uma onda no ar ( a população de uma favela encontra na comunicação, a arma contra a exclusão social e o racismo), Um grito de liberdade (visão do Apartheid na África do Sul. Luta contra o Racismo), Tudo aos domingos ( Tradições africanas na vida das pessoas), O Contador de Histórias, Narciso (história de dois meninos que encontram uma lâmpada mágica:o menino negro quer ser branco e rico e o menino branco quer cantar rap com o s negros).Quando o criolo dança ( entrevistas mostram situações vividas pelo negro no cotidiano)

Confecção de bonecas negras

Confecção de símbolos ou objetos africanos, máscaras, carrancas

Desfile da beleza negra

Teatro

Confecção de livros, dicionários, murais, banners, cordel ou cartazes privilegiando a cultura afro

Reflexão sobre a imagem da população negra apresentada nas novelas da rede de televisão

Álbuns de fotos com anotações

Músicas

Criação de um jornal sobre a temática

Criação de fantoches e bonecas de pano negras

Pesquisa e apresentação de capoeira

Análise de artistas e suas obras e criação de um folder para divulgação

Júri simulado, a partir de enquetes, expressando situações de racismos expressadas pelos alunos

Debates

Usar chages para analisar criticamente fatos de discriminação e racismos

Reprodução de desenhos usando escalas

Pesquisar em materiais impressos u internet os símbolos da cultura africana

Confecção de estamparia em tecidos ou papel, usando moldes vazados

Apresentar a Lei 10.639 em cordel

Reescrita de poesias ( As borboletas, de Vinícius de Morais...)

Apresentação de histórias nas quais a cor preta tem destaque positivo, com personagens negras representadas por qualidade e beleza: menina bonita do laço de fita, O menino marrom, Biografia das cores, História da preta, O menino Nito, Ana e Ana, Tranças de Bintou, Bruna e galinha Angola , As pérolas de Cadja etc;

Coreografia, dublagem e apresentação culturais de músicas, como; Aquarela do Brasil , Canto das três raças – Clara Nunes, Lavagem cerebral – Gabriel, o pensador, Mão de Limpeza – Gilberto Gil, Kizomba – Martinho da Vila, Dia de graça – Candeia, Milagres do Povo - Caetano Veloso e Gilberto Gil, Sorriso Negro – Dona Ivone Lara, Canta BRASIL – Alcyr Pires Vermelho etc

Oficinas: Tranças, música, filmes/vídeos, danças e Capoeira

Palavras cruzadas, caça palavra,

Seminários

Leitura de imagens

Leituras de textos reflexivos, poéticos e informativos;

Leitura compartilhada e dialogada de textos reflexivos

Pesquisa e leitura em jornais e revistas sobre discriminação racial

(organizar as informações no mural para conhecimento de todos).

· Leitura e canto coletivo de músicas

· Dinâmica de motivação sobre o tema

· Definir um horário semanal para assistir filmes culturais afrodescendente ou que enfoquem discriminação étnico-racial.

· Sugerir filmes para que assistam

Projeto enviado pela colega Guia Lucena!
PROJETO DE CULTURA AFRO-BRASILEIRA E AFRICANA


JUSTIFICATIVA



Este projeto busca promover a releitura da história do mundo africano, sua cultura e os reflexos sobre a vida dos afro-brasileiros em geral, rompendo com o modelo vigente na sociedade brasileira, garantindo a cidadania e a igualdade racial.



Um projeto que proponha uma discussão envolvente sobre identidade cultural entre culturas diferentes construindo uma reflexão acerca do homem, tanto no que abrange a sua individualidade, quanto a sua posição no âmbito social e coletivo, além de proporcionar a pesquisas sobre a cultura afro-brasileira em suas mais variadas manifestações, dentro de uma perspectiva abrangente, ou seja, de modo a entrelaçar as diversas linhas do conhecimento: Língua Portuguesa, História, Geografia, Matemática, Ciências, Religião, Artes.



OBJETIVO GERAL



Trabalhar a questão da diversidade cultural entre Brasil e África, num processo de identificação com as nossas identidades culturais, com o intuito de resgatar a cidadania.



OBJETIVOS ESPECÍFICOS



Desenvolver e divulgar, na escola e na comunidade, estudos que propiciem o resgate da cultura afro-brasileira;



Identificar e analisar de forma crítica os elementos geradores das diferenças, objetivando o combate ao preconceito, ao racismo, fatores de exclusão do educando;

Incentivar a pesquisa para a divulgação da cultura afro-brasileira e da sua importância na formação histórica, cultural, étnica e econômica;

Sensibilizar para a importância da temática étnico-racial, oportunizando discussões sobre o re-conhecimento e valorização das diversidades culturais;

Possibilitar a construção de um “nós” entre a cultura africana e a brasileira, de uma história e de uma identidade, possibilitando a releitura e a valorização da cultura afro-brasileira e dos afro-descendentes;

Promover a valorização da análise dos textos literários afro-brasileiros e a reflexão sobre conceitos e estereótipos acerca do negro;

Promover a formação de opiniões, atitudes e valores que desenvolvem os cidadãos para a consciência étnico-racial;

Trabalhar a auto-estima no educando, para que o mesmo possa fazer suas considerações positivas no relacionamento social com os seus semelhantes;

Promover a cultura afro-brasileira em parceria com as entidades de bairro e demais núcleos de estudo.

Perceber os diferentes tipos de religião, costumes e línguas presentes na África.

Reconhecer o papel do negro na definição e na defesa do território, os quilombos rurais e urbanos, o negro na periferia e na questão de posses de terras.

Discutir e conhecer as personalidades negras que deixaram ou estão deixando sua contribuição nos diversos setores da sociedade, como expressões culturais, desportivas, artísticas, políticas, musicais, religiosas etc.

AVALIAÇÃO:



As avaliações serão feitas mediante a realizações dos trabalhos e das apresentações em sala de aula.



AÇÕES DO PROJETO



• Questionar os alunos sobre o que sabem, que idéias e opiniões, dúvidas ou hipótese sobre o tema em debate, valorizando seus conhecimentos.



• Desenvolver atividades com diferentes fontes de informações em livros, filmes, fotos, visitas, passeios e confrontar dados e abordagem.



• Trabalhar com documentos variados, mapas, instrumentos de trabalho, rituais, adornos, meios de comunicação, vestimentas, textos, imagens e filmes.



• Promover estudos e reflexões sobre diversidade de modo de vida e de costumes dos afro-brasileiros. Promover estudos e reflexões sobre a presença na atualidade de elementos afro-brasileiros na localidade.



• Construir com os alunos: resumos orais, em forma de textos, jogos, murais, teatros, danças, coreografias, comidas, vestimentas, instrumentos utilizados no trabalho, nos rituais, nas danças, exposições e estimular a criatividade expressiva.



• Propor a culminância dos trabalhos em forma de feira pedagógica, com apresentações de todas as atividades planejadas



RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ESCOLA



A EEF Prefeita Margarida Gomes de Araújo vem desenvolvendo o tema cultura afro-brasileira e africana com atividades desenvolvidas em sala de aula e espaços de multimeios, onde são trabalhados interdisciplinarmente, conforme demonstrado em anexo.



LÍNGUA PORTUGUESA: Desenvolveu-se atividades de leitura com contos africanos, envolvendo trabalhos com os livros da biblioteca; vídeos com debates sobre a cultura africana e sua influência em nosso dia a dia.



MATEMÁTICA: Foi reproduzido o jogo SHISIMA de origem do Quênia onde se pode abordar raciocínio lógico, circunferência, abscissas, raio e diâmetro e fração.







CIÊNCIAS: Debateu-se sobre a ciência e a cultura afro-brasileira e africana.



GEOGRAFIA: Demonstrou-se através de mapas a localização do continente africano e brasileiro; coordenadas geográficas; miscigenação.



HISTÓRIA Foi realizada uma visita no bairro na casa de umbanda da senhora Rita Leão; estudo dos fatos históricos fazendo relação com a situação vigente dos negros no Brasil; confecção e exposição de trabalhos em murais e cartazes pelos alunos.


ARTES: Trabalhou-se a música escravo de jó de brincadeiras africanas onde se trabalhou a lateralidade, ritmo e concentração com crianças de anos iniciais; apresentação das máscaras africanas; dança capoeira demonstrada anteriormente em uma apresentação cultural da escola.


RELIGIÃO: Foi comentado sobre os tipos de religiões provenientes da crença africana incutida no Brasil e em nosso bairro, onde foi visitado um centro de umbanda com alunos.


EDUCAÇÃO FÍSICA: Trabalhou-se jogos e brincadeiras infantis da cultura afro-brasileira e africana como o escravo de jó.
Durante a execução do projeto pôde-se observar através dos alunos e professores que esta cultura é bastante influente em nosso bairro exemplificada e notadamente nos grupos de capoeira e nos centros de umbandas existentes.
Titúlo: “Cultura Afro-Brasileira – Para conhecer, apreciar e produzir Arte.”


2- Eixo temático II – Conhecimento e Expressão em Artes Visuais

RESUMO DO TRABALHO (máximo de cinco linhas)

3- Tema 6: Movimentos artísticos em Artes Visuais em Diferentes Épocas e diferentes Culturas: Relações entre as Artes Visuais, seu Contesto na História da Humanidade.

A proposta foi desenvolvida pensando na temática da valorização da cultura Afro-Brasileira, onde através de oficinas realizadas durante todo o projeto, abordarão a temática. Serão realizadas oficinas de xilogravura, pintura e escultura, possibilitando que os alunos interajam com materiais artísticos diversificados, para que assim criem belas obras e possam principalmente perceber e valorizar a Arte, e a cultura afro brasileira.



INTRODUÇÃO

Temos no Brasil uma grande diversidade cultural, rica pelas suas formas, cores, texturas, sons e movimentos. Neste sentido, a Arte se faz presente, sendo assim necessário que haja uma valorização para com a mesma. E falando em cultura, temos ainda diversos estilos brasileiros de Arte, onde destacamos a Arte Afro-Brasileira.

Pela riqueza de suas cores e formas, e principalmente de seu povo, torna-se necessário que façamos um trabalho juntamente a escola para que assim crie-se uma valorização e uma percepção da sua Arte através de oficinas e trabalhos que abordem tal temática.

OBJETIVOS

 Abordar a temática da cultura afro brasileira em oficinas de Arte.

 Interagir com materiais artísticos diversos.

 Confeccionar mandalas, máscaras e xilogravuras (“carimbos de impressão”) com o tema afro a partir das oficinas.

 Valorizar a cultura afro - brasileira a partir da reflexão e do fazer artístico.

 Entender que a relação entre as obras de artes das diferentes épocas históricas não se dá somente por linearidade, mas pela herança cultural e pelo contexto atual.



METODOLOGIA



A proposta se desenvolverá a partir da realização de três oficinas (uma para cada aula) com atividades que abordem a temática da cultura afro – brasileira. Cada oficina (uma de mandala, uma de xilogravura, uma de máscara) abordará uma técnica diferente, sendo esta monitorada por um professor orientador e desenvolvida por cada aluno individualmente.

O objetivo é que cada aluno vivencie o seu fazer artístico, sem deixar de levar em consideração as produções dos colegas. É importante que os alunos compreendam a importância de tal cultura e da capacidade que cada aluno possui de criar. Assim, construiremos mandalas, xilogravuras e máscaras com tema afro.





INFRA-ESTRUTURA NECESSÁRIA

(de responsabilidade de professor orientador do grupo)



Para a oficina de MANDALAS:

Tinta Látex Branca

Pigmentos xadrez (cores: amarelo, laranja, ocre, marrom e rosa)

30 Pincéis de pintura

Bacias para água

Jornal

Compassos

Lápis nº 02





Para a oficina de MÁSCARAS:

20 Telhas

Jornal

Argila

Bacias para água



Para a oficina de XILOGRAVURA (CARIMBOS)

Rolos de PVC

20 Tesouras



INFRA-ESTRUTURA NECESSÁRIA

(de responsabilidade da Escola: ponto de água, energia, internet, etc.)



Para a oficina de MANDALAS:

20 mesas (para uso individual)

Água

20 folhas de papel cartão BRANCO (se não, cor mais clara)

20 réguas





Para a oficina de MÁSCARAS:

Um vidro (grande) de Cola

Papel Higiênico (três pacotes)

Para a oficina de XILOGRAVURA (CARIMBO)

Dois potes de tinta nanquim preta

25 folhas de papel colorsete (em cores variadas)

Um pacote de EVA (qualquer cor)



Um comentário:

  1. 1° A GLOBO ditadura Vandalista da comunicação, leviana ardilosa e racista inimiga do povo brasileiro. No Brasil os judeus monopolizam a TV discriminam e humilham as mulheres negras?A MeGaLOBO RACISMO? A violência do preconceito racial no Brasil personagem(Uma negra boçal degradada pedinte com imagem horrenda destorcida é a Adelaide http://globotv.zorra-total/v/adelaide-e-briti-pedem-dinheiro-no-metro/, do Programa Zorra Total, TV Globo do ator Rodrigo Sant’Anna? Ele para a Globo e aos judeus é engraçado, mas é desgraça para nós negros afros indígenas descendentes, se nossas crianças não tivessem sendo chamadas de Adelaidinha ou filha, neta e sobrinha da ADELAIDE no pior dos sentidos, é BULLIYING infeliz e cruel criado nos laboratórios racistas do PROJAC (abrev. de Projeto Jacarepaguá da Central Globo de Produção) da Rede Globo é dominado por judeus diretores,produtores e apresentadores ( OBS. alem destes judeus e judias citados existem centenas de outros e mais de 200 atores, atrizes, comediantes, artistas e apresentadores judeus e judias e milhares de empregados e colaboradores da " Rede Globo Judaica Midiática Brasileira" )como Arnaldo Jabor,Carlos Sanderberg,Luciano Huck, Jairo Bouer,Luis Erlanger,Marcos Losekann,Marcius Melhem e Leandro Hassum,Vladimir Brichta,Tiago Leifert, Pedro Bial,William Waack,William Bonner & Fatima Bernardes,Ernesto Paglial & Sandra Annenberg,Mônica Waldvogel,Renata Malkes,Sandra Passarinho,Amora Mautner, Lillian W. Fibe,Esther Jablonski,Glenda Kozlowski,Gilberto Braga,Wolf Maya,Mário Cohen,Ricardo Waddington,Max Gerinder ,Maurício Kubrusly,Mauro Molchansky,Maurício Sirotsky ,Marcelo Rosenbaum,Michel Bercovitch,Fábio Steinberg,Guilherme Weber,Caio Blinder,Daniel Filho,Gilberto Braga,Walcyr Carrasco,Carlos H. Schroder e o poderoso Ali Kamel diretor chefe responsável e autor do livro Best seller o manual segregador (A Bíblia do racismo,que irônico tem por titulo NÃO SOMOS RACISTA baseado e num monte de inverdades e teses racistas contra os negros afrodescendentes brasileiros)E por Maurício Sherman Nisenbaum(que Grande Otelo, Jamelão e Luis Carlos da Vila chamavam o de racista porque este e o Judeu sionista racista Adolfo Block dono Manchete discriminavam os negros)responsável dirige o humorístico Zorra Total Foi dono da criação de programas e dos programas infantis apresentados por Xuxa(Luciano Szafir)e Angélica(Luciano Hulk) ambas tendo seus filhos com judeus,apresentadoras descobertas e lançadas por ele no seu pré-conceitos de padrão de beleza e qualidade da Manchete TV dominada por judeus sionistas,este BULLIYING NEGLIGENTE PERVERSO da Globo,

    ResponderExcluir