Viajando No Mundo dos Contos de Fada

Viajando No Mundo dos Contos de Fada

sábado, 17 de março de 2012

PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA NA LEITURA E ESCRITA

PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA NA LEITURA E ESCRITA 1. NOME DO PROJETO: “Quem conta um conto aumenta um ponto...” 2. EIXO TEMÁTICO: Pluralidade Cultural. 3. PROBLEMÁTICA: De acordo com o diagnóstico realizado pelos professores, no 1º e 2º trimestres desse ano, a maioria dos alunos das turmas demonstraram dificuldades na leitura, interpretação e produção textual. Diagnóstico esse que possibilitou aos professores uma reflexão sobre o problema, levando-os à hipótese de que a razão das dificuldades de leitura e produção escrita estaria no pouco acesso dos alunos aos diversos gêneros textuais e em especial aos textos literários. 4. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA: A definição do tema desse projeto para ser desenvolvido em nossa escola se apoia no conhecimento que temos de que o trabalho com a literatura infantil e infanto juvenil pode contribuir significativamente para o desenvolvimento cognitivo das crianças, ajudando a formar leitores. Sendo assim, ao propor um trabalho com o gênero literário em sala de aula, apoiamo-nos também nas concepções de alguns estudiosos que afirmam que o trabalho com a Literatura Infantil pode certamente ajudar na valorização da criatividade, da independência e da emoção infantil, o chamado, pensamento crítico e segundo SILVEIRA (1997, p.149), "(…) e com ênfase à criança ativa, participante, não-conformista". Logo, "(…) Faz-se necessário que o professor introduza na sua prática pedagógica a literatura de cunho formativo, que contribui para o crescimento e a identificação pessoal da criança, propiciando ao aluno a percepção de diferentes resoluções de problemas, despertando a criatividade, a autonomia e a criticidade, que são elementos necessários na formação da criança em nossa sociedade atual". A Literatura Infantil, nas escolas, deve despertar o gosto pela leitura, pois "(…) a literatura pode proporcionar fruição, alegria e encanto quando trabalhada de forma significativa pelo aluno. Além disso, ela pode desenvolver a imaginação, os sentimentos, a emoção, a expressão e o movimento através de uma aprendizagem prazerosa". (SAWULSKI, 2002) Percebemos então que para desenvolver uma proposta voltada para a utilização da literatura infantil na escola é preciso ampliar a nossa percepção de que "(…) Ler não é decifrar palavras. A leitura é um processo em que o leitor realiza um trabalho ativo de construção do significado do texto, apoiando-se em diferentes estratégias, como seu conhecimento sobre o assunto, sobre o autor e de tudo o que sabe sobre a linguagem escrita e o gênero em questão". (RCNEI, 1998, p. 144). Os RCNEI sugerem que "(...) os professores deverão organizar a sua prática de forma a promover em seus alunos: o interesse pela leitura de histórias; a familiaridade com a escrita por meio da participação em situações de contato cotidiano com livros, revistas, histórias em quadrinhos; escutar textos lidos, apreciando a leitura feita pelo professor; escolher os livros para ler e apreciar. Isto se fará possível trabalhando conteúdos que privilegiem a participação dos alunos em situações de leitura de diferentes gêneros feita pelos adultos, como contos, poemas, parlendas, trava-línguas, etc. propiciar momentos de reconto de histórias conhecidas com aproximação às características da história original no que se refere à descrição de personagens, cenários e objetos, com ou sem a ajuda do professor". RCNEI, (1998, vol.3, p. 117-159). Para Pinto (1999), "A Literatura Infantil tem um grande significado no desenvolvimento de crianças de diversas idades, onde se refletem situações emocionais, fantasias, curiosidades e enriquecimento do desenvolvimento perceptivo. Para ele a leitura de histórias influi em todos os aspectos da educação da criança: na afetividade: desperta a sensibilidade e o amor à leitura; na compreensão: desenvolve o automatismo da leitura rápida e a compreensão do texto; na inteligência: desenvolve a aprendizagem de termos e conceitos e a aprendizagem intelectual". (apud RUFINO e GOMES, 1999, p.11). COELHO explica que, "... a literatura infantil vem sendo criada, sempre atenta ao nível do leitor a que se destina... e consciente de que uma das mais fecundas fontes para a formação dos imaturos é a imaginação – espaço ideal da literatura. É pelo imaginário que o eu pode conquistar o verdadeiro conhecimento de si mesmo e do mundo em que lhe cumpre viver". COELHO (2000 p.141).Portanto considerando os fundamentos teóricos que embasam o projeto reconhecemos que, o trabalho em sala de aula com Literatura Infantil é importante sob vários aspectos biopsicosociais. Quanto ao desenvolvimento cognitivo, ela proporciona às crianças meios para desenvolver habilidades que agem como facilitadores dos processos de aprendizagem. Estas habilidades podem ser observadas no aumento do vocabulário, nas referências textuais, na interpretação de textos, na ampliação do repertório lingüístico, na reflexão, na criticidade e na criatividade. Estas habilidades propiciariam no momento de novas leituras a possibilidade do leitor fazer inferências e novas releituras, agindo, assim, como facilitadores do processo de ensino-aprendizagem não só da língua, mas também das outras disciplinas. 5. JUSTIFICATIVA: A leitura e a escrita são hoje um dos maiores desafios das escolas, visto que quando estimulada de forma criativa, possibilita a redescoberta do prazer de ler, a utilização da escrita em contextos sociais e a inserção da criança no mundo letrado.Pensando nesse contexto, o Projeto “Quem conta um conto aumenta um ponto...” torna-se necessário e viável, pois pretende fomentar a leitura, a interpretação e a produção por meio da contação de história.Com uma proposta de trabalho interdisciplinar com as literaturas infantil e infanto - juvenil, o projeto busca reunir escola e comunidade local em atividades de pesquisa e informações que contribuam para o resgate da história da comunidade, tornando o aluno a mola mestra do processo ensino aprendizagem. 6. OBJETIVOS: 6.1. OBJETIVOS GERAIS: • Estimular o prazer pela leitura, considerando a interdisciplinaridade e a atuação de toda a escola nesse processo; • Trabalhar com gêneros literários diversos, possibilitando ao alunado a aquisição de competências leitoras; • Resgatar a história de sua comunidade por meio de contos populares;• Desenvolver a reescrita de histórias e a produção textual. 6. 2. OBJETVOS ESPECÍFICOS: • Ampliar o repertório de histórias conhecidas; • Familiarizar-se com as histórias; • Construir o hábito de ouvir histórias e sentir prazer nas situações que envolvem leitura de história; • Aproximar-se do universo escrito e dos portadores de escrita(livros e revistas), manuseando-os e reparando na beleza das imagens; • Relacionar textos e ilustração, manifestando sentimentos, experiências, idéias e opiniões, definindo preferência e construindo critérios próprios para selecionar o que vão ler. • Vivenciar situações de leitura compartilhada e uso do cantinho de leitura da classe; • Contar de histórias conhecidas; • Realizar leituras orais e silenciosas de histórias; e silenciosas de histórias; • Interpretar histórias lidas; • Realizar o estudo de vocabulários presentes nas histórias lidas; • Assistir a exibição de DVD e vídeos de histórias e contos de diversos gêneros; • Escutar de histórias fonadas, lidas ou contadas pelos professores e colegas • Montar histórias ou trechos de histórias (fatiados); • Escrever listas com os nomes das histórias e/ou nomes de personagens das histórias lidas; • Participar de rodas de leitura envolvendo conto e reconto (oral); • Escrever e reescrever histórias; • Complementares histórias lacunadas; • Refletir sobre os elementos de escrita utilizados nas produções escritas (com apoio do professor); • Ilustrar (com desenhos) histórias lidas; • Dramatizar histórias e contos trabalhados; • Confeccionar livretos com histórias trabalhadas; • Participar do Dia D da leitura e contação de histórias, expondo os trabalhos produzidos. 7. CRONOGRAMA: Alunos Professores Coordenadores Diretores Alunos: De 01 de setembro a 30 de novembro • Ampliar o repertório de história conhecidas; 1ª semana de setembro: Professores: • Selecionar um acervo de livros de qualidade, adequada a cada faixa-etária, implementando o cantinho de leitura da classe; 1ª semana de setembro; • Observar a qualidade do acervo de livros e problematizar a escolha dos títulos que serão lidos às crianças; De setembro a novembro: Diretor e Coordenador: • Incentivar e garantir que o conteúdo deste projeto esteja assegurado com pauta nos encontros de formação dos professores; Alunos: • Familiarizar-se com as histórias; De setembro a novembro: Professores: • Realizar com freqüência e regularidade a leitura de diferentes histórias aos alunos. De setembro a novembro nas reuniões de AC: Diretor e Coordenador: • Orientar e apoiar o planejamento dos professores, enfocando a leitura como atividade diária na escola; Alunos: • Construir o hábito de ouvir histórias e sentir prazer nas situações que envolvem leitura de história; De setembro a novembro: • Compartilhar sobre suas impressões sobre as histórias lidas; Coordenador: • Orientar os professore na organização e utilização sistemática dos cantinhos de leitura na sala de aula; Alunos: • Aproximar-se do universo escrito e dos portadores de escrita (livros e revistas) para que possam manuseá-los , reparar na beleza das imagens, relacionar textos e ilustração, manifestando sentimentos, experiências, idéias e opiniões, definindo preferência e construindo critérios próprios para selecionar o que vão ler. De setembro a novembro: Professores: • Favorecer a manifestação dos alunos, incentivando-os a opinarem sobre as histórias ouvidas , manifestando suas idéias e sentimentos. Coordenador: • Incentivar, apoiar e orientar o planejamento de atividades de roda de leitura, antes, durante e depois da leitura. Alunos: • Vivenciar situações de leitura compartilhada e uso do cantinho de leitura da classe; • Expor preferências pessoais com o intuito de ampliar a possibilidade de as crianças avaliarem as histórias. Professores: • Selecionar textos adequados ao propósito da atividade habitual de leitura; • Permitir que as crianças apreciem e tenham acesso aos livro em diferentes momentos da rotina, tanto nas rodas de leitura quanto no cantinho da leitura; • Compartilhar informações prévias e relevantes com os alunos sobre o que será lido para melhor entendimento do texto. 8. AÇÕES NECESSÁRIAS: • Levantamento do acervo bibliográfico da escola; • Seleção de literaturas infantil e infanto juvenil; • Criação dos cantinhos ou varais de leitura nas salas de aula; • Criação das caixas ou baús da leitura; • Implantação da Ciranda de livros na escola com o sistema de empréstimos de livros na escola; • Criação de espaços em que os alunos possam estar fazendo as suas colocações a cerca dos livros lidos. 9. METODOLOGIAS: • Apresentação do projeto aos professores para articulação de idéias e ações; • Apresentação e abertura do projeto com os alunos de todas as turmas; • Contação de historias por professores; • Contação de histórias por alunos; • Contação de histórias por pessoas da comunidade local; • Leituras orais de histórias pelos professores; • Leituras de orais e silenciosas de histórias pelos alunos; • Pesquisa e leitura de histórias na internet; • Interpretações orais e escritas de histórias lidas pelos professores; • Interpretações orais e escritas de histórias lidas pelos alunos; • Estudos de vocabulários presentes nas histórias lidas pelos alunos; • Exibição de DVD e vídeos de histórias e contos de diversos gêneros; • Escuta de histórias fonadas; • Atividades de montagem de histórias ou trechos de histórias trabalhadas (fatiados); • Escrita de listas com os nomes das histórias e/ou nomes de personagens das histórias lidas; • Realização de rodas de leitura envolvendo conto e reconto (oral); • Contação de histórias usando fantoches; • Escrita e reescrita de histórias; • Complementação de histórias lacunadas; • Reflexão sobre os elementos de escrita utilizados nas produções escritas dos alunos (apoio do professor); • Ilustrações (com desenhos) de histórias lidas; • Dramatizações de histórias e contos trabalhados com os alunos; • Criação de livretos com histórias produzidas pelos alunos; • Realização do Dia D da leitura e contação de histórias, exposição dos trabalhos na escola com divulgação dos livretos produzidos. 10. CONTEÚDOS: • Leitura oral e silenciosa de diferentes gêneros textuais • Linguagem oral e escrita; • Interpretação; • Produção escrita; • Reflexão de elementos da língua escrita (textos); • Estudo do vocabulário; • Seqüência lógica: Início, meio e fim; • Coerência e coesão textual; • Pontuação. 11. RECURSOS: • Portadores textuais de diversos gêneros da literatura infantil e infanto-juvenil; fantoches; palanquinho; aparelho de TV e DVD; • Aparelhos de som, mídias de CD e DVD; caixas de leitura; cartolina, papel metro, cola, hidrocor, lápis de cor; tinta guache; papel ofício; textos impressos, etc. 12. AVALIAÇÃO: A avaliação do projeto ocorrerá durante todo o processo de seu desenvolvimento, envolvendo a observação da atuação dos professores, as atividades de produção escrita e oral, confecção de murais ilustrados, atividades de interpretação e outras atividades escritas (contos e re-contos) desenvolvidas pelos alunos bem como a atuação de pessoas da comunidade local, considerando-se ainda os avanços obtidos e demonstrados pelos alunos no decorrer e ao final do projeto. 13. SÍNTESE/CULMINÂNCIA: A síntese do projeto ocorrerá com a realização do Dia D da leitura e contação de histórias na escola, onde estará acontecendo a exposição dos trabalhos realizados pelos professores e alunos de todas as turmas e divulgação dos livretos de histórias produzidos pelos alunos contando com a participação da comunidade local. 14. BIBLIOGRAFIA: AROEIRA, M.; SOARES, M.; MENDES, R. Didática de pré-escola: vida e criança: brincar e aprender. São Paulo: FTD, 1996, p. 167. BRASÍLIA. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil (RCNEI). Brasília: MEC/SEF, 1998. COELHO, N. Literatura: arte, conhecimento e vida. São Paulo: Peirópolis, 2000. 159p. COELHO, N. A história da história. In: RIBEIRO, R. O Patinho Feio. São Paulo: Editora Moderna, 1995.p. 31. RUFINO, C.; GOMES, W. A importância da literatura infantil para o desenvolvimento da criança na fase da pré-escola. São José dos Campos: Univap, 1999. SAWULSKI, V. Fruição e / ou aprendizagem através da Literatura Infantil na escola.1.2002abril 2003. SILVEIRA, R. Ela ensina com amor e carinho, mas toda enfezada, danada da vida. In: Cultura, mídia e educação: Educação e Realidade, Rio Grande do Sul: v.22, n.2, jul/dez 1997

Nenhum comentário:

Postar um comentário