Viajando No Mundo dos Contos de Fada

Viajando No Mundo dos Contos de Fada

sábado, 17 de março de 2012

DE MARICÁ PARA MARICOLÁ (Saepe)

DE MARICÁ PARA MARICOLÁ bonita não tem vez!Vejam vocês que Maricolá se jogou no mar porque suas irmãs, Maricá, e Marilá, a transformaram numa pessoa horrorosa. Ela estava pensando como recuperar sua vassoura para se locomover com mais facilidade, no fundo do mar ou quem sabe, até, voltar para o penhasco, quando... Nesse instante bateram na porta. Marcelina, a sereia-secretária, veio nadando apressadinha, murmurou um “com licença” e foi atender. Era o Peixe-Serra, o correio do fundo do mar, trazendo uma carta presa ao serrote. - Diga pra dona da casa botar luz na entrada da gruta. Custei pra achar o número e isso não está certo! – queixou-se ele. - Deve ter acontecido alguma coisa com os peixes de iluminação. Mas também, por que não trabalha de dia? São horas de entregar cartas? - Aí no envelope está escrito “urgente”, o que quer dizer “o mais depressa possível”. Pode ser até uma questão de vida ou morte. Ande, menina! Corra pra dentro e entregue a carta. Se tiver resposta eu levo.Marcelina obedeceu resmungando: - Não é urgente coisa nenhuma! Está amarrada com uma pedrinha e isso quer dizer que é mais uma carta cheia de desaforos das bruxas do alto do penhasco. Dona Guiomar vai ler e jogar no lixo.Mas depois viu que a carta estava endereçada a Maricolá. Estava escrito no envelope: Exma. Srta. Maricolá Alvissareira da Penha Aos cuidados da Dona Guiomar Marazul Alameda das Esponjas Vermelhas nº 25 URGENTE - Aquela bruxa esquisita mal chegou e já está recebendo cartas, e ainda por cima, carta urgente – pensou Marcelina desconfiada. Entregou a carta a Maricolá e ficou parada diante dela olhando-a com grande curiosidade. Era uma carta de Maricá. A bruxinha leu e fez a cara mais espantada do mundo. Nunca pensou que a irmã pudesse escrever uma coisa assim tão carinhosa. A carta dizia: “Querida Franguinha Gorducha, como vai? Não se resfriou ainda na água fria? Estamos muito preocupadas e achamos que está na hora de você voltar. Sabe que se ficar mais tempo pode virar um marisco, um tubarão ou uma água-viva! Estamos mais do que preocupadas, estamos APAVORADAS. Por favor, irmãzinha, pegue lápis e papel e escreva à sua vassoura, pedindo para ela ir buscar você. E depressa ouviu? A carta tem que ser enviada para a Praia do Mar-Virado. Eu e a Marilá vamos passar a noite lá, esperando. Sete beijinhos para você.” E depois vinha a assinatura: “Maricá” Maria Heloisa Penteado (Adaptado de Maricá, Marilá e Maricolá. ) Questão 01- Procure no texto as palavras que significam: a) mais que preocupadas b) morro alto de pedra c) o mais depressa possível d) carta destinada a Maricolá Questão 02 - Responda as questões, de acordo com o texto: a) Por que o Peixe-Serra pediu para botar luz na entrada da gruta? b) Que motivo levou o Peixe- Serra a não esperar o dia para entregar a carta? c) O que fez Marcelina pensar que a carta havia vindo do penhasco? d) Por que Maricolá ficou espantada ao perceber que a carta era carinhosa e vinda de Maricá? QUESTÃO 03 - Responda a) Por que o texto se chama “De Maricá para Maricolá”? b) Que outro título você daria para esse texto? Justifique sua resposta. QUESTÃO 04 - Leia os fatos e complete com as causas que levaram cada um a acontecer. a) Maricolá se jogou no mar. Causa – b) Maricá enviou uma carta a Maricolá. Causa – QUESTÃO 05 - A saudação da carta é “Querida Franguinha Gorducha...” a) Por que será que Maricá saudou Maricolá dessa forma? b) O que você pensa que Maricolá achou desse fato? Justifique sua resposta. RELATÓRIO Jorge Miguel Senhor Superintendente Tendo sido designado por Vossa Senhoria para apurar as denúncias de irregularidades ocorridas no aeroporto de Marília, submeto à apreciação de Vossa Senhoria o relatório das diligências que nesse sentido efetuei. No dia 23 de julho de 1988 dirigi-me ao senhor Raimundo Alves Correia, encarregado do aeroporto daquela cidade, para que permitisse fosse interrogado o funcionário João Romão, acusado de ter furtado uma máquina de escrever Olivetti n. 146.801, pertencente ao patrimônio do aeroporto. O acusado relatou-nos que realmente havia levado a máquina para casa na sexta-feira - 18 de março de 1988 - apenas para executar alguma tarefa de caráter particular. Não a devolveu na segunda-feira, dia 21 de março, porque faltou ao serviço por motivo de doença. Quando retornou ao serviço dia 28 de março, devolveu a máquina. A doença do acusado está comprovada pelo atestado que segue anexo ao presente relatório; a devolução da máquina no dia 28 de março foi confirmada pelo senhor Raimundo Alves Correia. Do exposto conclui-se que me parece infundada a acusação. Não houve vontade de subtrair a máquina, mas apenas negligência do acusado em levar para casa um bem público para executar tarefa particular. Foi irresponsável. Não cometeu qualquer ato criminoso. Não me convence seja necessário impor-se a instauração de processo administrativo. O funcionário deve ser repreendido pela negligência que cometeu. É o que me cumpre levar ao conhecimento de Vossa Senhoria. Aproveito a oportunidade para apresentar-lhe protestos de minha distinta consideração. São Paulo, 25 de julho de 1988 Cláudio da Costa 6. O relatório é um texto de tipo: a. descritivo; b. narrativo; c. argumentativo; d. poético; e. dramático. 7. A finalidade principal do texto é: a. orientar o superior na tomada de uma decisão; b. documentar oficialmente um ato irregular; c. discutir um tema polêmico; d. fornecer dados para uma investigação; e. indicar funcionários passíveis de punição. 8. Não consta(m) do relatório lido: a. o cargo da autoridade a quem é dirigido; b. o relato dos fatos ocorridos; c. uma preocupação literária do autor; d. as conclusões dos fatos analisados; e. uma fórmula de cortesia final. 9. O item em que se mostra a forma abreviada correta de Vossa Senhoria é: a. V. Sria. b. V. Sra. c. V. S. d. V. Senh. e. V. Sª. 10. O plural do verbo e do pronome em ''dirigi-me'' é: a. dirigi-nos; b. dirigimos-nos; c. dirigimos-me; d. dirigis-nos; e. dirigimo-nos. 11. O estilo burocrático se caracteriza, entre outras coisas, pelo emprego de palavras desnecessárias; no primeiro parágrafo do texto são exemplos desse caso: a. denúncias; ocorridas; apreciação; b. ocorridas; apreciação; relatório; c. apreciação; relatório; nesse sentido; d. relatório; denúncias; ocorridas; e. nesse sentido; ocorridas; apreciação. 12. As datas presentes no texto têm a finalidade textual de: a. mostrar a evolução dos acontecimentos; b. documentar os fatos citados; c. criar a falsa impressão de verdade; d. valorizar o trabalho do autor do relatório; e. facilitar a leitura do relatório. 13. ''... que se anexa ao presente relatório.'' ; o item abaixo em que a concordância do vocábulo anexo está correta é: a. Vai anexa o atestado médico; b. Vão anexo o atestado e a foto do funcionário; c. Estão em anexas as fotografias pedidas; d. Está em anexo a declaração do réu; e. Está anexo os documentos solicitados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário