Viajando No Mundo dos Contos de Fada

Viajando No Mundo dos Contos de Fada

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Dinâmica primeiro dia de aula (com balas ou jujubas)
É importante conhecer o grupo com o qual vai trabalhar e também é bom que eles se conheçam entre si. Essa dinâmica faz com que cada um fale um pouco de si sem ficar aquela coisa chata e arrastada, parecendo entrevista de TV.
Distribuo balas coloridas ou jujubas aos alunos (podem ser 2 ou 3 para cada um) e peço que as deixem em cima da carteira. Então especifico as cores (que você pode especificar de acordo com o que quiser saber a respeito de seus alunos). Por exemplo, numa classe não muito numerosa – 15 alunos, por exemplo – e na faixa de 10 a 14 anos, faço mais ou menos o seguinte:
  • verde – escola (o aluno se apresenta e fala onde estuda, que curso faz, que matérias gosta ou não gosta, etc)
  • azul – família e casa (ele se apresenta e fala de sua família, onde mora, se tem bicho de estimação, onde seu pai e sua mãe trabalham, se ele se dá bem com os irmãos ou não, etc)
  • vermelho – lazer (ele fala tudo o que gosta de fazer quando não está estudando.
Vou chamando cada aluno e ele vai escolher uma das duas ou três cores que tem para falar. Se escolher a vermelha, por exemplo, vai falar sobre lazer.
Depois que cada um fala, você pode perguntar ao grupo se querem perguntar mais alguma coisa relacionada ao que o aluno estava falando. Eu normalmente pergunto, se o aluno diz que tem um irmão pergunto se é mais velho ou mais novo,  se dão bem, etc. Se diz que tem cachorro, pergunto o nome, se sabe fazer gracinhas, se tem manias, etc.Se forem alunos maiores você pode mudar os critérios, acrescentar outros como vida amorosa, vida profissional, religião, etc… Aí fica a seu critério.Gosto de fazer essa dinâmica com classes que estão começando porque ajuda a guardar os nomes dos alunos (muito importante) e também tanto eu quanto a classe em geral ficamos sabendo um pouco mais sobre eles.Claro que depois que a dinâmica termina, eles têm autorização para comer as balas.
Garrafa dos elogios
Material:
Uma garrafa vazia (pode ser de refrigerante). O grupo deve sentar formando um círculo.O Professor coloca a garrafa deitada no chão no centro da sala e a faz girar rapidamente, quando ela parar estará apontando o gargalo para alguém. O Professor dirá uma palavra de boas vindas, estímulo ou elogio à essa pessoa.A pessoa indicada pela garrafa terá então a tarefa de girá-la e falar para quem ela apontar e assim sucessivamente.



                              A construção coletiva do rosto
Objetivos: Fazer com que os alunos sintam-se à vontade uns com os outros.
Aplicação:
a) Orientar os participantes para sentarem em círculo;
b) O professor distribui para cada participante uma folha de papel sulfite e um giz de cera;
c) Em seguida orienta para desenhar o seguinte:
- uma sombrancelha somente;
- passar a folha de papel para as pessoas da direita e pegar a folha da esquerda;
- passar novamente;- desenhar um olho;- passar novamente;- desenhar o outro olho;
- passar a direita e... completar todo o rosto com cada pessoa colocando uma parte (boca, nariz, queixo, orelhas, cabelos).
d) Quando terminar o rosto pedir à pessoa para contemplar o desenho;
e) Orientar para dar personalidade ao desenho final colocando nele seus traços pessoais;
f) Pedir ao grupo para dizer que sentimentos vieram em mente.

              IDENTIFICAÇÃO PESSOAL COM A NATUREZA
Objetivos: Auto conhecimento  e preces
Material: Símbolos da natureza, papel e caneta.
Desenvolvimento:
1. Contemplação da natureza. Cada um procura um elemento na natureza que mais lhe chama a atenção e reflete: Porque o escolhi? O que ele me diz?
2. Formação de pequenos grupos para partilha.
3. Cada pequeno grupo se junta com o outro e faz uma nova partilha. O grupo escolhe um como símbolo e formula uma prece.
4. Um representante de cada grupo apresenta o símbolo ao grupo, fazendo uma prece.
Palavra de Deus:  Gn 1,1-25
Desenvolvimento: Cada um irá fazer sua pintura Surpresa, e escreverá num papel o que forma está vendo, o que acha que parece. Depois trocarão com alguém e este deverá dizer o que parece para ele.
Conclusão: Os pais chegarão à conclusão que cada um tem uma visão diferente de mundo, assim como as crianças, que aprendem do seu jeito, vêem as coisas de uma maneira própria, e assim como na vida, direcionam seu olhar de acordo como foram vistas, amadas, incentivadas. Cada um aprende de um jeito diferente, num ritmo diferente…

Nenhum comentário:

Postar um comentário