Viajando No Mundo dos Contos de Fada

Viajando No Mundo dos Contos de Fada

domingo, 23 de abril de 2017

Gêneros textuais

AS GÍRIAS E ABREVIAÇÕES MAIS USADAS NA INTERNET

Vc é noob no mnd das gírias da net? Não entendeu? Vou traduzir: Você é novo no mundo das gírias da internet? Agora deu para entender não é?A globalização através da internet, tem trazido novas abreviações e gírias usadas para acelerar o tempo de conversação pelos messengers, emails, e bate-papos online.A gíria é uma linguagem de caráter popular, criada e usada por determinados grupos sociais ou profissionais. Elas são usadas para substituir termos ou conceitos oficiais que não são usados tradicionalmente. Bom, e na internet não é diferente, existem algumas gírias que foram criadas pelos internautas que muitas pessoas por aí não fazem ideia do que significa, e às vezes ficam por fora do assunto. Aqui estão algumas gírias utilizadas pela galera jovem do Brasil, a maioria das gírias vem da galera do Rio de Janeiro


Ficou na pista – Deu mole em alguma coisa, passou vergonha
Vacilou – Marcou bobeira
Puxar um beck – Fumar droga (cocaína, maconha…)
Zoar ou Zueira – Fazer bagunça
Nóia – Usuário de droga, que trafica, drogado
Fita forte – Produto de roubo
Dar um rolê – Passear, sair
Ei tá preula – Ficar impressionado
Bagulho – alguma coisa (como folha, carro e etc)
Marola – Cigarro de maconha
Ficou pequeno – Ficou mal falado
Queimou meu filme – fizeram fofoca a respeito de você
Rasga – Sai correndo, sai daqui
Gás – Muito rápido
Muito louco – Muito bonito, lindo
Mina – Mulher
Gostosa – Mulher sensual, muito bonita (Ex: Tiazinha, As Sheilas …)



A Gíria é a cultura do povo - Bezerra de Menezes



Toda hora tem gíria no asfalto e no morro porque ela é a cultura do povo Pisou na bola conversa fiada malandragem Mala sem alça é o rodo, tá de sacanagem
Tá trincado é aquilo, se toca vacilão Tá de bom tamanho, otário fanfarrão Tremeu na base, coisa ruim não é mole não Tá boiando de marola, é o terror alemão Responsa catuca é o bonde, é cerol Tô na bola corujão vão fechar seu paletó "Toda hora tem gíria... Se liga no papo, maluco, é o terror Bota fé compadre, tá limpo, demorou
Sai voado, sente firmeza, tá tranquilo Parei contigo, contexto, baranga, é aquilo Tá ligado na fita, tá sarado
Deu bode, deu mole qualé, vacilou Tô na área, tá de bob, tá bolado Babou a parada, mulher de tromba, sujou
"Toda hora tem gíria...Sangue bom tem conceito, malandro e o cara aíVê me erra boiola, boca de sirí
Pagou mico, fala sério, tô te filmando É ruim hem! O bicho tá pegando Não tem caô, papo reto, tá pegado
Tá no rango mané, tá aloprado



Caloteiro, carne de pescoço, "vagabau"
Tô legal de você sete-um, gbo, cara de pau


SUGESTÕES DE REGISTRO PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS

       A análise da escrita deve acontecer tanto por parte dos alunos, quanto principalmente dos professores, pois é através da avaliação que o professor faz da produção de cada aluno que ele traçará metas e estratégias a serem desenvolvidas com o aluno/turma.
      REGISTRO PARA O ALUNO 

      É muito bom que o aluno possa avaliar a sua produção de texto, descobrindo por si mesmo o que pode ser melhorado. Por isso segue abaixo uma sugestão de ficha de avaliação de texto que pode ser ampliada e modificada de acordo com o texto produzido e a turma em questão.

AVALIANDO MINHA PRODUÇÃO

1.   Coloquei título ?
2.  O título está adequado ao texto?
3.   Os parágrafos estão alinhados?
4.   Minha produção está com um bom aspecto?
5.   A letra está legível?
6.   O tipo de texto que usei está de acordo com a proposta?
7.   Usei a estrutura correta para esse tipo de texto?
8.   Usei os sinais de pontuação adequados?
9.   Fiz a correção da ortografia?
10. As frases estão claras?
11. O texto apresenta sequência lógica (início, meio e fim)?

Versos, poesias, poemas – Qual a diferença entre os conceitos?

·         O que é verso?O que é poesia?O que é poema?Qual a diferença entre poema e poesia?

Questões complexas muito perguntadas na internet, pelo que tenho reparado. Vou tentar responder abaixo, aproveitando para tentar explicar um pouco mais outros conceitos relevantes relacionados que podem esclarecer outras dúvidas:
·         Poema - é a obra (texto) em verso, poema é a organização, estrutura das palavras. Existe por si mesmo, independente de quem o lê.
·         Poesia - é a qualidade poética de um texto ou obra de arte ou situação. Pode haver poesia num por de sol, por exemplo. Está em quem a sente. Filosoficamente, ela não pode existir por si mesma, independentemente de alguém que a sinta.
·         Verso - é cada linha de um poema. Também é chamado verso a forma de escrita que não é prosa.
·         Estrofe - é cada uma das seções que constituem um poema. Isto é, cada agrupamento de versos, separadas por uma linha em branco.
Estrofes podem ser classificadas pelo número de versos:
·         1 verso – Monóstico
·         2 versos – Dístico
·         3 versos – Terceto
·         4 versos – Quarteto ou quadra
·         5 versos – Quintilha
·         6 versos – Sextilha
·         7 versos – Septilha
·         8 versos – Oitava
·           9 versos – Nona
·         10 versos – Décima
·         Mais de 10 versos Estrofe irregular


Anexos
 CARACTERÍSTICAS DOS GÊNEROS :

Cantigas de roda: músicas passadas de geração a geração com ou sem coreografias.
Parlendas: Arrumação de palavras sem acompanhamento de melodia mas às vezes rimada.
Fábula: é um texto de carácter fantástico. As personagens principais são animais ou objetos, e a finalidade é transmitir alguma lição de moral.

Biografia: A biografia é a história de vida de uma pessoa. A palavra provém de um termo grego composto: bios (“vida”) e graphein (“escrever”). Na biografia resume-se os principais factos na vida de uma pessoa. 

Charge: A charge é uma crítica político-social onde o artista expressa graficamente sua visão sobre determinadas situações cotidianas através do humor e da sátira. A palavra é de origem francesa e significa carga. Muito utilizadas em críticas políticas no Brasil. Já o cartum, que é uma palavra de origem inglesa, ao contrário da charge, que sempre é uma crítica contundente ligada a temporalidade, o cartum retrata situações mais corriqueiras do dia-a-dia da sociedade. 

Conto: é um texto narrativo breve, e de ficção, geralmente em prosa, que conta situações rotineiras, anedotas e até folclores (conto popular). Caracteriza-se por personagens previamente retratados. Inicialmente, fazia parte da literatura oral.

Crônica: é uma narrativa informal, . A crônica, na maioria dos casos, é um texto curto e narrado em primeira pessoa, ou seja, o próprio escritor está "dialogando" com o leitor.  Isso faz com que a crônica apresente uma visão totalmente pessoal de um determinado assunto: a visão do cronista, ligada à vida cotidiana, com um toque de humor e crítica, ela situa-se entre o jornalismo e a literatura.

História em quadrinho: este tipo de gênero situa-se no quadro dos chamados narrativos por apresentarem características semelhantes à narração, como personagens, espaço, tempo, o enredo se caracterizar por uma sequência de ações realizadas em quadros separados. São diferenciados apenas pelo fato de que, ao invés do narrador, o diálogo é retratado de forma direta, representado em forma de balões, na qual as imagens representam um papel de destaque.

Lenda: a lenda pode ser situada geograficamente em um determinado momento cronológico. Na lenda o herói é humano e religioso, sua origem ocorre quando há um desvio do ponto de vista real para o imaginário.

POEMAS E POESIAS

A leitura de poesias e de poemas para as crianças se transforma em uma atividade lúdica. Os poemas e as poesias devem despertar nos alunos o interesse pela produção de textos, oportunizando na escola o surgimento de artistas escritores e poetas que acreditamos ter em cada um de nós. Diferença entre Poemas e Poesias: Poesia: Caráter do que emociona, toca a sensibilidade. Sugerir emoções por meio de uma linguagem. Poema: é definido como: "obra em verso ou não em que há poesia”. Ou seja: quando falamos em poesia, estamos falando de uma arte e, quando falamos em poema, estamos nos referindo a um texto concreto.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
*      Desenvolver hábitos de leitura pelo prazer de ler; Conhecer e diferenciar poemas de poesia ;
*      Produzir seus próprios textos a partir de poemas e poesias lidos em sala de aula;
*      Promover a imaginação criativa; Desenvolver hábitos de ouvir e apreciar poemas e poesias;
*      Envolver os alunos na leitura, escrita, interpretação e no desenvolvimento criativo através das mais variadas atividades como: dramatizações, produções, de textos, ilustrações e desenhos
*      Organizar o cantinho da leitura em sala de aula; Produção de poemas e poesias;
*      Conhecer alguns escritores de poesias de nossa região
*      Conhecer a biografia dos autores das poesias e poemas;
*      Melhorar a aprendizagem com relação à pontuação, ortografia e a estrutura, despertando o prazer de ler, escrever, produzir, ilustrar o referido gênero
ESTRATEGIAS:
v  Faça leitura diária de poemas de diferentes autores pelo professor e/ou pelo aluno;
v  Apresente a biografia de alguns autores (Cecília Meireles, Sérgio Caparelli, Elias José ,ZiraldoRoseana Murray, José Paulo Paes,Vinícius de Morais ,Cora Coralina Monteiro Lobato  .etc ) e outros que o professor considera interessante;
v  Proponha que os alunos escrevam poemas em dupla ou individualmente;
v  Peça que os alunos façam a reescrita de poemas; Escrever , ler e recitar poesias;
v  Organizar o cantinho da leitura em sala de aula; Produção de poemas e poesias;
v  Concurso da melhor poesia para o dia das mães; Elaboração de mural com exposição das produções de poemas e poesias ( cada turma terá a sua semana de apresentação deste mural);
v  Leitura e Declamação de poemas e poesias;
v  Varal de poesias na sala para que o aluno escolha qual quer ler; Produção de um livro de poesias.
v  Conversar com a turma sobre alguns aspectos importantes do poema: características (rima, versos e estrofes)
LENDAS , CONTOS E PRODUÇÃO DE TEXTOS
Este tema pretende fazer a ponte entre o lúdico, o imaginário com o conhecimento necessário para produzir novos saberes na área da leitura, da escrita e da produção oral. Desenvolvendo momentos onde o aluno e seu professor, terão acesso a "belos contos de fadas, fábulas e lendas". Propiciando assim, de forma lúdica e dinâmica, experiências diversificadas, estimulando o gosto pela leitura, enriquecendo a criatividade, o imaginário e o conhecimento.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
LENDAS
  • Conhecer as lendas brasileiras, a cultura popular nas diferentes regiões do Brasil
  • Utilizar-se da linguagem oral e escrita para recontar as lendas do folclore brasileiro;
  • Conhecer lendas do folclore brasileiro;Explanar o que é gênero textual através da própria produção de textos;
  • Ampliação do repertório dos alunos a respeito das lendas.
  • Atividades de produção escrita.
  • Envolver os alunos na leitura, escrita, interpretação e no desenvolvimento criativo através das mais variadas atividades como: dramatizações, produções, de textos, ilustrações e desenhos
FÁBULAS
  • Identificar os personagens.
  • Fazer reflexão com os alunos sobre os valores mostrados nas fábulas
  • Reconhecer os diversos tipos de animais presentes nas fábulas.
  • Identificar os personagens.
  • Reconhecer os diversos tipos de animais presentes nas fábulas.
  • Comentar com ajuda do facilitador que assume papel de agente dinamizador da leitura.
  • Tirar conclusões e explorar as múltiplas possibilidades que o educando possa oferecer.
  • Aplicar atividades de caráter lúdico, além de promover a interdisciplinaridade lúdica.
  • Enumerar as palavras e frases que mais instigaram as crianças.
  • Narração e descrição dos fatos
  • Reconto de Fábulas

CONTOS
  • Apresente aos alunos as características do gênero Conto;
  • Selecione vários contos para que os alunos leiam;
  • Leve os alunos à biblioteca da escola para conhecer o seu acervo literário;
  • Proponha a reescrita de um conto com um novo enfoque;
  • Organize uma coletânea de contos reescritos pelos alunos;
  • Prepare uma peça teatral baseada em um conto que os alunos consideram interessante;
  • Conhecer diversas Histórias infantis; Desenvolver hábitos de leitura;
  • Diferenciar lendas,fabulas e histórias infantis;
  • Utilizar a técnica de dramatizar e fazer recontos;
  • Oportunizar a criatividade, imaginação, humor, ilusionismo;
  • Desenvolver habilidades sociais; Desenvolver o hábito de ouvir com atenção.
  • Enriquecer e ampliar o vocabulário;
  • Desenvolver o pensamento lógico e a rapidez de raciocínio;
  • Ampliar as possibilidades de movimentos; Expressar-se por meio de desenhos, pinturas e colagens;
  • Ler, ainda que de forma não convencional;
  • Dramatizar histórias, por meio de expressões orais e dança; Descrever cenários e personagens;
  • Identificar soluções de conflitos presentes nos contos; Identificar títulos de histórias conhecidas;
  • Continuar histórias a partir de um determinado ponto; Produzir textos, tendo o professor como escriba.

PARLENDAS, TRAVA-LÍNGUAS, CANTIGAS DE RODA E ADIVINHAÇÕES
OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
ü  Estimular raciocínio e atenção; Ler, recontar e ilustrar, lendas, par lendas, adivinhas;
ü  Estimular a ampliar a linguagem oral; Incentivar a escrita nas suas diversas modalidades; -
ü  Estimular o ritmo, a criatividade e prazer pelo aprender brincando.
ü  Desenvolver o processo de leitura e escrita através de atividades Contextualizadas;
ü  Favorecer a integração social do grupo; Desenvolver a expressão artística e corporal;
ü  Estimular o gosto pela leitura e a escrita;
ESTRATEGIAS:
  • Fazer um levantamento dos trava-línguas conhecidos pela turma;
  • Socializar os trava-línguas e organizar fichas de leitura de cada um deles;
  • Levar para casa as fichas com os trava-línguas para que possam ler;
  • Ler algumas adivinhas p/ turma, que tentam descobrir as respostas;
  • Organizar um campeonato de adivinhas na sala; Representação de parlendas
  • Confecção de cartazes referente às parlendas trabalhadas
  • Pesquisas sobre: trava-línguas, parlendas, adivinhações, charadas, canções conhecidos pela família;
  • Canto de músicas folclóricas (cantigas de ninar, cantigas de roda, desafios.)
  • Distribuir para a turma a parlenda/o trava-língua/ as canções, escrita com letra impressa maiúscula, pois auxilia no reconhecimento das letras.
  • Ler para os alunos a parlenda e pedir para que a recitem.  É importante que a parlenda seja escritas seja fixada na sala para que os alunos se familiarizem mais com o texto.
  • Solicitar aos alunos que identifiquem oralmente as palavras que rimam na parlenda. É importante explicar o significado de rimas (palavras com som igual ou muito parecido).
  • Fazer desenho da parlenda/canção para colocar no mural da sala.
  • Atividades com reescrita das canções que também visam avançar no processo de alfabetização dos alunos. Leia os enunciados para os alunos, os oriente na resolução das questões e observe que relações estão estabelecendo entre os sons e as letras.

POR QUE CONHECER OS GÊNEROS TEXTUAIS?

Exercer cidadania implica, antes de tudo, descobrir como nossos talentos podem contribuir para construir uma sociedade cada vez melhor. Por isso, a escola tem o dever de resgatar o espírito cidadão que nós todos, alunos e professores,temos para influir no ambiente em que vivemos, em vez de nos deixar levar por ele. É dever de todos nós sermos cidadãos plenos.Como? Lutando por nossos direitos, nossas convicções e nossos valores, pensando também nos direitos,convicções e valores de todos. Assim, o aluno, por meio das aulas de produção textual,  será instado a se posicionar diante de temas da realidade para ampliar sua compreensão de mundo, tomando consciência de seus direitos e deveres como cidadão, opinando, interferindo nos acontecimentos, além, é claro, de se preparar para eventuais práticas linguísticas tão necessárias para o exercício da cidadania.Vão aí algumas dicas da estrutura de alguns gêneros tão importantes para o exercício da cidadania

Notícia: texto com o objetivo de informar o leitor de um jornal ou revista a respeito de um fato. A notícia, de um modo geral, não esgota o fato; informa o quê? Quem? quando? Onde? Como? Por quê?Característica da Notícia:
Dicas: 
- dê um título bem sugestivo
- elabore manchete que provoque no leitor desejo de ler a notícia
- desenvolva a notícia, sem se esquecer de que o primeiro parágrafo do desenvolvimento ondetraz as informações essenciais relativas ao acontecimento: o quê, que, onde, quando; nos parágrafos seguintes apresentam-se os pormenores.
A função primordial da notícia é informar. Disso se conclui que o autor não deve emitir juízos de valor pessoal, evitando, por exemplo, adjetivos e outras marcas da função emotiva
Reportagem : pode ser considerada a própria essência de um jornal e difere da notícia pelo conteúdo, extensão e profundidade. A reportagem busca mais: partindo da própria notícia, desenvolve uma seqüência investigativa que não cave na notícia. Assim, apura não somente as origens do fato, mas suas razões e efeitos. Abre debate sobre o acontecimento, desdobra-o em seus aspectos mais importantes e divide-o, quando se justifica, em vários tópicos. A notícia não esgota o fato; a reportagem pretende fazê-lo. Normalmente compõe-se de 3 partes:

a) Manchete: é o título da reportagem. Tem o objetivo de resumir a reportagem e, ao mesmo tempo, atrair a atenção do leitor para o texto.

b) Lead: é um resumo, que aparece geralmente no início da reportagem.

c) Corpo: é a parte da reportagem que desenvolve o assunto, apresentando detalhes do fato principal.
Obs.: Para se fazer uma reportagem é preciso entrevistar pessoas, que dêem informações a respeito do assunto e do aspecto que sua reportagem vai analisar, e pesquisar em bibliotecas, enciclopédias e livros informações específicas a respeito do assunto abordado.
ABAIXO-ASSINADO

Gênero textual que se produz quando uma pessoa ou um grupo de pessoas deseja fazer uma reivindicação, de caráter pessoal ou coletivo. O abaixo-assinado tem o objetivo de persuadir o leitor do mesmo. Veja suas características:
a) identificação, na forma de vocativo, da autoridade a quem é encaminhado o documento;
b) corpo do texto que consiste na apresentação do problema, seguido da reivindicação pretendida pelos assinantes, e dos argumentos que justificam a solicitação feita;
c) fechamento do texto que deve conter local e data, seguidos de assinaturas dos simpatizantes. Para dar maior credibilidade às assinaturas, costuma-se identificá-las por meio de dados pessoais como cidade, país ( se for o caso), documento de identificação e, às vezes, endereço;
d) os autores do texto podem-se colocar em 1ª ou em 3ª pessoa;a linguagem deve estar atenta ao padrão culto da língua;
e) os verbos aparecem no tempo presente do indicativo;
f) o pronome de tratamento deve ser de acordo com o cargo ocupado pelo interlocutor;
g) texto de intenção persuasiva, que encaminha uma reivindicação
CORDEL
  • Realize pesquisas sobre a origem do cordel e dos principais cordelistas brasileiros
  • Apresente aos alunos as características do gênero Literatura de Cordel;
  • Selecione livros de Literatura de Cordel para que os alunos leiam;
  • Leve os alunos à biblioteca da escola para conhecer o seu acervo literário;
  • Comente com os alunos sobre a importância de trocar indicações de leituras e opiniões com amigos e colegas;
  • Proponha a leitura de um livro de literatura clássica para que eles leiam em casa;
  • Comente com os alunos sobre a importância de trocar indicações de leituras e opiniões com amigos e colegas;
  • Solicite que em duplas os alunos escrevam um livro de Literatura de Cordel;
  • Faça a reescrita dos textos de cordel;
  • Organize uma coletânea dos livros escritos pelos alunos;

AUTOBIOGRAFIA
Através de perguntas, cada aluno deverá elaborar um texto coerente, formando uma autobiografia, que será exposto no mural da escola.Após o estudo do texto( a critério ) o estudo da biografia  e explicar o que é uma autobiografia, pedir que os alunos elaborem uma autobiografia.
Ler para os alunos biografias produzidas por outras crianças da mesma idade deles. Os alunos, através de perguntas, irão elaborar um texto, formando uma autobiografia.Os alunos deverão primeiro produzir a autobiografia no caderno de produção de texto a seguir ler sua produção para os colegas e após as correções passar a limpo para ser exposto no mural da sala. Todos os alunos deverão digitar sua autobiografia.
ROTEIRO DE UMA AUTOBIOGRAFIA
1)Qual seu nome completo? 
2)Quantos anos você tem? 
3) Você nasceu em Pernambuco ? Em que cidade?
4) Em que colégio estuda?
5) Que carreira profissional você espera seguir?
6) Você está lendo algum livro? Qual?
7) Tem o hábito de ler revistas ou jornais? Cite o nome de algumas (alguns).
8) Você pratica algum esporte? Escreva o nome dele e por que o pratica.
9) Há alguma outra atividade que você faz e que não está relacionada ao colégio ou esporte? Fale sobre ela.
10) Qual o cantor ou conjunto que você mais aprecia?
11) Você tem o costume de assistir a programas de televisão? Que tipo de programação prefere?
12) O que você faz no final de semana?
13) Você pode acrescentar outras informações, se desejar,
14) O texto deve ser escrito em primeira pessoa.

BIOGRAFIAS
o   Criar um espaço de reflexão sobre as características da linguagem escrita e promover situações de leitura e escrita de biografias
o    Trabalhar com um destinatário real para a produção escrita. 
o    Pesquisa: Recortar biografias para montagem de mural; 
o    Leitura da biografia da Cecília Meireles; 
o    Características específicas das biografias; 
o   Leituras de outras biografias;  Definição de biografia; Procedimentos de revisão. 
o   Leia em voz alta biografias de personalidades da música, da pintura e da literatura. Por meio delas, as crianças vão se familiarizar com esse tipo de texto, além de conhecer diversos escritores, poetas como a de Cecília Meireles
o    Converse com a turma sobre as características identificadas e o que diferencia esse tipo de texto dos demais, como contos, fábulas e notícias jornalísticas. 

TEXTOS FOLCLÓRICOS
OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
ü  Estimular raciocínio e atenção; Ler, recontar e ilustrar, lendas, par lendas, adivinhas;Estimular o gosto pela leitura e a escrita;Estimular a ampliar a linguagem oral; Incentivar a escrita nas suas diversas modalidades; -
ü  Estimular o ritmo, a criatividade e prazer pelo aprender brincando.
ü  Desenvolver o processo de leitura e escrita através de atividades contextualizadas;
ESTRATEGIAS:
  • Fazer um levantamento dos trava-línguas conhecidos pela turma;
  • Socializar os trava-línguas e organizar fichas de leitura de cada um deles;Ler algumas adivinhas p/ turma, que tentam descobrir as respostas;Organizar um campeonato de adivinhas na sala;  Representação de parlendas
  • Confecção de cartazes referente às parlendas trabalhadas Promover pesquisas na internet.
  • Pesquisas sobre: trava-línguas, parlendas, adivinhações, charadas, canções conhecidos pela família;
  • Canto de músicas folclóricas (cantigas de ninar, cantigas de roda, desafios.)
  • Distribuir para a turma a parlenda/o trava-língua/ as canções, escrita com letra impressa maiúscula, pois auxilia no reconhecimento das letras.
  • Solicitar aos alunos que identifiquem oralmente as palavras que rimam na parlenda. É importante explicar o significado de rimas (palavras com som igual ou muito parecido)Fazer desenho da parlenda/canção para colocar no mural da sala.
  • Atividades com reescrita das canções que também visam avançar no processo de alfabetização dos alunos..

Nenhum comentário:

Postar um comentário