Viajando No Mundo dos Contos de Fada

Viajando No Mundo dos Contos de Fada

sábado, 23 de julho de 2016

5 Critérios Para Uma Formação Eficaz De Gestores

5 Critérios Para Uma Formação Eficaz De Gestores
           
1 Competências de resultado
Abrangem processos e práticas de gestão voltados para assegurar a melhoria dos resultados de desempenho da escola, tais como: 
- Definir junto com todos os segmentos que atuam na escola os padrões de desempenho de qualidade 
e cuidar para que sejam atingidos. 
- Analisar comparativamente os indicadores dos últimos anos, identificando os avanços e os pontos em que é necessária maior concentração de esforços. 
- Promover e orientar a aplicação sistemática de mecanismos de acompanhamento da aprendizagem de modo a identificar as áreas que exigem atenção. 
- Comparar os indicadores de rendimento da escola com as referências no âmbito nacional (como o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica e a Prova Brasil), estadual e local e prever avanços. 
- Promover na escola o compromisso de prestação de contas aos pais e à comunidade sobre os resultados de aprendizagem.
O que a Secretaria de Educação pode fazer
- Divulgar os índices de desempenho da escola.
- Ajudar a equipe gestora na análise dos dados. 
- Orientar na elaboração de uma agenda de trabalho para a escola com foco na melhoria dos resultados e no uso dos indicadores.
2 Competências de planejamento
São as habilidades necessárias para elaborar um diagnóstico da situação real da escola e planejar ações que possibilitem o alcance dos resultados: 
- Conhecer o contexto social e cultural do país, do estado, do município e da comunidade. 
- Ajudar na compreensão da importância das avaliações externas. 
- Definir metas, estratégias e ações, mediante a articulação de todos os recursos disponíveis. 
- Elaborar planos de ação orientados para atingir os resultados educacionais pretendidos. 
- Analisar os resultados da escola considerando as diferentes variáveis para implementar os planos de ação. 
- Utilizar os resultados das avaliações externas para repensar as condições de ensino previstas no projeto político-pedagógico (PPP).
O que a Secretaria de Educação pode fazer
- Ampliar os conhecimentos dos gestores sobre as políticas públicas. 
- Ajudar na compreensão da importância da ficha de matrícula como um instrumento para conhecer a comunidade. 

- Promover discussões sobre o contexto social e cultural no entorno. 
- Orientar na definição de prioridades e no estabelecimento de metas a curto, médio e longo prazos.
3 Competências de liderança
Envolvem capacidades de liderar as equipes para o trabalho conjunto e estimular o desenvolvimento profissional e a responsabilidade de todos pelos resultados da escola. Para alcançar esses objetivos, é preciso saber:
- Comunicar-se eficazmente com a comunidade interna e externa. 
- Planejar ações e envolver as pessoas na sua realização. 
- Negociar, promover mediações e resolver conflitos. 
- Manter as expectativas elevadas e ter uma orientação proativa. 
- Promover o desenvolvimento de lideranças em seus grupos. 
- Estabelecer redes de relacionamento e intercâmbio profissional e institucional. 
- Lidar com a diversidade de professores, funcionários, alunos, pais e comunidade. 
- Conviver com as resistências a mudanças.
O que a Secretaria de Educação pode fazer
- Oferecer formação em gestão de equipe. 
- Criar momentos de troca de experiências entre os gestores com foco no relacionamento pessoal dentro da escola. 
- Disponibilizar condições para a aproximação da escola e da comunidade com apoio para a realização de eventos. 
- Orientar o desenvolvimento de visão estratégica e de conjunto no encaminhamento das problemáticas escolares.
4 Competências pedagógicas
São as habilidades para acompanhar os processos de ensino e aprendizagem a fim de estabelecer metas e estratégias e implementar propostas educacionais que assegurem o sucesso escolar dos alunos: 
- Assegurar o espaço de formação no contexto de trabalho. 
- Promover a elaboração e a atualização do PPP. 
- Estimular e orientar a promoção da aprendizagem profissional do grupo, pela reflexão, com base em sua atuação. 
- Observar objetivamente o desempenho, dar feedback e identificar a necessidade de melhorias educacionais. 
- Estar atento a tudo que diz respeito às condições dos processos de ensino e de aprendizagem dos alunos. 
- Identificar as limitações e as dificuldades de seus profissionais e buscar ajuda para que possam atuar de forma eficaz.
                            O que a Secretaria de Educação pode fazer
- Abrir espaço para que os diretores possam expor suas ações e seus desafios. 
- Aprofundar os conhecimentos do diretor sobre a gestão escolar para compreender a importância de garantir as condições de ensino e de como o aluno aprende. 
- Estabelecer objetivos com relação às reuniões de pais para compartilhar os projetos da escola. 
- Ajudar a definir as prioridades e o estabelecimento de metas a curto, médio e longo prazos.
5 Competências administrativas
Asseguram a realização de uma administração eficiente, desde a aplicação de recursos financeiros até o funcionamento adequado das instalações, de modo a tornar o ambiente de aprendizagem seguro e eficaz. São necessários conhecimentos 
para: 
- Manejar e controlar o orçamento, os recursos financeiros, os materiais e o patrimônio escolar.
- Analisar, interpretar e descrever os dados educacionais que favoreçam a tomada de decisões. 
- Usar tecnologias na melhoria de processos de gestão. 
- Integrar políticas educacionais nacionais, estaduais e locais nos planos educacionais da escola. 
- Realizar reuniões regulares com a equipe para analisar o andamento do trabalho da unidade escolar.
O que a Secretaria de Educação pode fazer
- Ampliar o conhecimento dos diretores sobre legislação, uso de recursos e prestação de contas. 
- Acompanhar a implementação de políticas públicas. 
- Apoiar e incrementar o desenvolvimento do PPP. 
- Contribuir com a formação das equipes gestoras.
Fontes consultadas: Heloísa Lück, do Centro de Desenvolvimento Humano Aplicado (Cedhap) em Curitiba, PR, Maura Barbosa, consultora da revista NOVA ESCOLA GESTÃO ESCOLAR, SP, Gisela Wajskop e Maria Cristina Nogueira Bareli, do Instituto Singularidades, em São Paulo, SP, e Rosa Hashimoto, consultora em Educação, em Salvador, BA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário